sexta-feira, 30 de novembro de 2012

           DATAS PARA SEREM LEMBRADAS
 Especialmente pelos meus conterrâneos da cidade da Cachoeira,na Bahia,referentes à primeira quinzena do mês de dezembro.

 
  








No dia 2 de dezembro de 1876,era oficialmente inaugurado o tráfico ferroviário entre as cidades da Cachoeira e Feira de Santana,considerado obsoleto pelo então ministro Juarez Távora e desativado. Profundamente lamentável.
Pois é,pois é,pois é!  A Cidade Heróica já teve uma fábrica de refrigerantes que fabricava o Guaraná Paraguaçu (à época grafado com dois "esses"),conforme podemos constatar no rótulo reproduzido ao lado.
A inauguração se deu exatamente no dia 3 de dezembro do ano de 1927
O proprietário,João Vieira Lopes,era um homem empreendedor,possuía uma fábrica de gelo,de venda de peças de automóvel (onde foi o bar de Ernani)e de lajotas e ladrilhos (a Ônix,no Curiachito).
Eleito prefeito da Cachoeira,foi considerado pelos seus contemporâneos como o mais profícuos administradores da cidade.
Registrava-se em 5 de dezembro de 1910,há 102 anos passados,portanto,mais uma calamitosa cheia do rio Paraguaçu.
 Na foto ao lado do mesmo período e do mesmo evento,temos o sobrado onde nasceu o grande jurisconsulto Augusto Teixeira de Freitas onde funcionava o fórum da cidade. Hoje,realmente não sabemos nada sobre o seu real aproveitamento quando ali poderíamos ter uma biblioteca específica de Direito,um pequeno auditório para palestras e uma Regional da Ordem dos Advogados da Bahia.
A gente pode ver,também,que existia uma janela ao lado que alguma "reforma" feita pelo Patrimônio resolveu ignorar.
No dia 9 de dezembro de 1967,o então Juiz de Direito e Eleitoral,Dr.Joaquim José de Carvalho Filho (foto),cumprindo acórdão do TRE-BA,empossava os senhores Domingos Miraldo Costa e Evangivaldo Borges e Silva,no lugar dos anteriormente empossados Alexandre Oliveira Lima e Francis Silva (Chico da Padaria).
Finalmente,no dia 13 do ano de 1881 nascia a ilustre filha da Cachoeira,Ana Justina Ferreira Neri,filha de José Ferreira de Jesus e Luiza Maria das Virgens.
Casada com o Capitão de Fragata Izidoro Antônio Neri morto em combate na campanha do Paraguai,e com os seus dois filhos também servindo ao Exército Nacional,Ana Neri peticionou ao presidente da Província (cargo correspondente a governador do estado) e teve permissão para ela própria ir servir no cenário da luta.
Em lá chegando,Ana Neri se destacou pelo seu sublime altruísmo atendendo aos feridos sem distinção de raça.
Ao retornar ao país,recebeu do Imperador Pedro II a mais alta comenda. É a patrona das enfermeiras do Brasil e tem uma estátua sua na praça da Cruz Vermelha aqui no Rio de Janeiro. 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário