quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

                                           PRECE DE NATAL
                                                            
                                                  Clóvis Alberto Alves Maciel.


Cristo,quando na terra te encarnaste,
foi uma estrela a luminosa trompa
que anunciou ao mundo que chegaste,
- Deus,mas tão simples,o Senhor sem pompa.

Filho de humildes,entre humildes criado,
deste exemplo de amor e singeleza;
não foi teu companheiro o potentado,
mas o anônimo filho da pobreza

Contra os ricos pregaste,destemido,
e em prol dos pobres,ó desassombrado;
para estes foi teu reino construído,
àqueles o teu reino foi vedado.

Contra o orgulho,a ambição,o fausto,o egoísmo,
tem Verbo se elevou,desceu tua ira.
A caridade,o amor,o pacifismo,.
eis as achas da tua santa pira.

A tua pregação igualitária,
de um só rebanho sob um só pastor,
quer povos sem nababos,mas sem párias,
sem escravos,sem donos,sem senhor.

"Mestre" te chamam e bem o mereces,
pois aliaste à palavra o grande exemplo,
ensinaste que ao céu não bastam preces,
e limpaste a vergastas o teu templo.

Por isso,ante o teu v erbo - sem flagício -
sacerdotes venais,ricos e nobres,
levaram-te ao sjupremo sacrifício,
para conter a religião dos pobres.

Hoje,porém,transatos dois mil anos,
nos quais ficou de pé tua doutrina,
o mundo vive os mesmo desenganos,
sem aplicar tua santa medicina.

Embora com teu nome batizada,
a nossa pseuda civilização,
de teus ensinamentos não tem nada,
o homem segue a esmagar o seu irmão.

Faz-se mister,portanto,ó Cristo amigo,
que ao mundo tornes - se não ele cai -,
para mostrar sob o teu doce abrigo,
que somos todos filhos de um só Pai.


Nenhum comentário:

Postar um comentário