sábado, 1 de dezembro de 2012

      DECODIFICANDO O "BAIANÊS"
Os "causos" que contamos oralmente ou narramos em artigos e livros,alguns que fomos testemunhas ocular,noutros por ouvir falar,a trama se desenrolou na Bahia,mais precisamente na minha terra natal,Cachoeira,e,ao término,estamos incluindo uma decodificação do "baianês" usado.
Para maior autenticidade da narrativa,usamos a linguagem coloquial e costumeiramente pornofônica dos personagens. Portanto,será precipitado qualquer juízo a meu respeito,que sou um velho ponográfico etc e tal.
Outra coisa: recomendamos aos puritanos não irem adiante na leitura que segue. 
                              HOMOFOBIA ETÍLICA

A noite era ainda uma criança,como diria Vinícius de Moraes. O sino do relógio da tri centenária Matriz delatava: Blem! Blem! Blem!
Na Rua do Alambique,dois sujeitos não identificados,cheios de goró iam cambaleando pela calçada. Então,um deles puxou conversa:
- Olha seu bodoso, vou bater uma caixa pra você; (hic! hic!) 
- Você lembra da Neuza?
- De jeito e qualidade!
- Rapaz,,,ela está  arrastando a asa pro meu lado !
De repente,não mais do que de repente,o outro falou espantado:
- Você tá vendo a luz daquele sobrado acesa? Vou lá dar uma conferida.
Dito e feito. Subiu cambaleante os degraus.Adentrou na sala de visitas.Bem no meio da sala lá estava um caixão de defunto.Junto ao esquife a enlutada família pranteava ao morto,enquanto as Carpideiras se esbugalhavam em lagrimas.
Uma pequena pausa para cultura inútil: Você,por acaso,sabe o que eram as Carpideiras? Eram mulheres contratadas pelas famílias ricas para chorarem,se lamuriarem nos féretros.
O nosso personagem,mal se aguentando em pé,enquanto o seu companheiro lá da rua mandava estridentes e inquietantes assobios de curiosidade. Aproximando-se do sarcófago,o bebum número um retirou a mortalha do rosto a fim de identificar o morto. Epa! Levou o maior susto. Correu à janela do sobrado e,aos berros,deu a infausta notícia ao seu companheiro:
- Você não vai acreditar,cara ! O Bila morreu !
E o outro com voz de espanto:
- Que Bila,porra ?!
Seu homofóbico e etílico companheiro esclareceu:
- Aquele chibungo que dava o furico !!!
___________________________________________________________
DECODIFICANDO O "BAIANÊS"
Goró - Bebida alcoólica
Bodoso - sujo,mal cheiroso.
Bater uma caixa - Contar uma novidade,um caso.
De jeito e qualidade - De forma alguma
Arrastando a asa - Estar a fim,dando mole.
Bocada - Local onde pode estar acontecendo alguma coisa.
Chibungo - Gay,homossexual,viado.
Furico - O mesmo que ânus.


  

Nenhum comentário:

Postar um comentário