sexta-feira, 14 de dezembro de 2012


                                
 "CAUSOS" VERÍDICOS

                                             MOTEL FAQUIR

SOU DE UMA GERAÇÃO em que a opinião menos contenciosa da sociedade era que bastava ter nascido homem para ter direito e o dever de fazer sexo.
A prostituição não era legalizada, mas, tolerada pela sociedade, assim como o homossexualismo desde que o familiar desempenhasse a parte ativa. O baitolo teria de ser o outro.
Os pais, (leia-se a mãe também), preocupavam-se o filhote já tinha bolinado a empregada, ido até o meretrício, local onde as “mulheres de vida fácil”, de poucas amigas, amigos e aliados, faziam sexo por dinheiro, por vezes até contra a vontade.
No caso das meninas, nem pensar em perder o cabaço. As avançadinhas,masturbavam o namorado e aceitavam as mesmas carícias ou até faziam saliência nas coxas.No “Castelo de Nenzinha” só iam as chamadas moças incubadas.
Naqueles tempos, na desfaçatez da escuridão do Jardim do Faquir, funcionava o maior motel a céu aberto do Brasil! E tudo na base do 0800, pois era freqüentado por namorados de graxeiras, sobressaltados por causa de soldados, sobretudo quando chegava um delegado novo.
Foi numa dessas batidas policiais que o temido soldado chamado Miranda levou de bolo o jovem Ailtom, apelidado de Atchim. Raimundo Barbosa, Caçulinha, seu colega fez, então, a seguinte paródia com a música “Falsa Patroa”, grande sucesso na voz de Jorge Veiga:
“Senhor delegado/ Eu não tive culpa/ Foi a empregada de Manolo que me convidou/ Dizendo que estava no sufoco/ Me levou pelo braço / Pro Jardim de João Caboclo/ Passe um sabão nela,doutor/Dê isso por acabado/ Se houver processo/ Eu serei condenado/ Que vergonha ver meu nome no jornal/ Sou de boa família/ Não quero deixar minha gente mal !”
O delegado era o tenente Antonio Anastácio,mais conhecido como “Pente Fino”
Geraldo Sales,cirurgião dentista,pecuarista,professor do Ginásio e Oficial do Exército da reserva,instalou o seu gabinete na Rua Ana Nery,contíguo ao sobrado da Desportiva,atual Prefeitura.
O seu moleque de recados era um tal de Juvina,sujeito competente para arrumar encrenca. Dormia no próprio consultório de sorte que,quando chegava o leite da fazenda,ele abria o vasilhame,batia sua bela vitamina completando o que tirou com água! Costumava dizer que “só quem pode tomar leite puro é o bezerro!”
Esqueci de dizer: engenhoso como o quê, Juvina inventou uma espécie de paleta adaptável ao motor do aparelho de obturação com que ele batia as suas vitaminas matinais.
Geraldo já vinha de saco cheio com o seu auxiliar. Não é que ao tentar calçar as suas botas Geraldo levou um banho. Banho de mijo porque Juvina com preguiça de levantar, usou as botas do homem como penico!!!!
Juvina, era assíduo no Faquir. Pra manter inveja e respeito, resolveu vestir a farda do patrão. Ficou sambando dentro da farda, magro como ele era. Quando estava no bem bom,surgem dois soldados: o já citado Miranda e o novato Pinheiro. Juvina não teve dúvida: saiu na maior disparada pela orla fluvial. Foi o fato mais comentado da cidade porque nunca ninguém viu um tenente do Exército tomar carreira da polícia!
No dia seguinte Geraldo resolveu despedi-lo, não antes de dar-lhe uma lição. Como no fundo do consultoria havia um pátio com uma barra,alteres e outros aparelhos,Geraldo convidou Juvina para um treino de boxe. Juvina,aceitou. Quando estava calçando as suas luvas,Geraldo levou uma porrada na testa dada por Juvina que saiu porta a fora e ninguém mais soube dele !
Landinho Amarelo, Kiko Bubu e Louro estavam tomando uma fresca sentados num dos bancos do Faquir. O ventinho trazia aquele cheiro de maresia do Rio Paraguaçu. Eis que surge a figura de uma baiana do acarajé.Fala diretamente com Louro:
- Como é que é? Vai me pagar o abará que você comeu semana passada ou não vai?
Louro respondeu:
- Eu não paguei,não?!
- Se você tivesse pagado eu não tava cobrando,,,
- Paguei !
- Não pagou !
E a coisa foi pegando fogo. Acabou descambando em baixaria. A baiana do acarajé xingou:
- Olha seu toco de amarrar jegue é bom que você me pague senão...
Diante da ameaça, Louro reagiu:
- Tá pensando que eu tenho medo do seu macho?
- Que macho?
- Alfredo de Muritiba!
-Que foi que disse isto a você?!
Landinho resolveu dar o ar da sua graça:
-Quem disse foi Morenito.
A baiana reagiu:
-Deixa eu encontrar com ele.
E começou a chorar cada vez mais alto. E se retirou ameaçando:
-Vou falar com Ananias!
E os três parecendo que combinaram:
-Pode ir. Ananias é puuuuuta!
E a baiana saiu resmungando enquanto Kiko Bubu inquiria a Landinho:
-Por que botou o nome de Morenito?
Landinho respondeu:
-Pra dar credibilidade e Louro ganhar a discussão.
Já estavam até esquecidos do incidente quando apareceram dois soldados. Landinho se apressou em cumprimentá-los:
- Oi,amigo Ananias,tudo bem?
Ih,rapaz!  Repararam o nome: ANANIAS !  Eles pensaram que era o barbeiro e não o musculoso soldado que respondeu:
-Amigo uma porra! Quem é que é puta?
Não obteve resposta porque cada um correu para um lado e quem corre com medo...


DECODIFICANDO O “BAIANÊS”
Baitolo – Gay, viado.
Moça incubada – Não era mais virgem
Graxeiras – Empregadas domésticas
Jardim de João Caboclo – O nome oficial era Parque Góes Calmon, o povão só chamava de João Caboclo porque existia um comerciante no local com este nome. Depois que o prefeito Stênio Burgos fez uma reforma utilizando pedras pontiagudas,passou a ser conhecido como Jardim do Faquir.
Passar o sabão – Reprimenda,esporro.
Toco de amarrar jegue – de pequena estatura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário