sábado, 1 de dezembro de 2012

             VAMOS FALAR DE POESIA?
                                     Em agosto de 1982,há 30 anos passados,portanto,vinha à lume o meu primeiro livro,uma coletânea de discursos e poemas de cachoeiranos do passado e do presente,(capa facsimilada,ao lado). Dentre esses ilustres cachoeiranos do passado,um jovem e talentoso bacharel em Direito chamado Paulo Sérgio Fraga Lobo fazia a sua estréia. Ouçamo-lo:
 
              AO MEU PAI
                                               Paulo Lobo
Tem razão,pai,
                                não perco essa mania
                                ...de sonhar,
                                essas idéias de olhos grandes,
                                avançar tantas fronteiras
                                com meu corpo fraco
                                traçando incríveis planos. 
                                Sabe,pai,
                                nunca plantei nada,
                                para pensar colher tanta coisa,
                                enxergar tantos ideais
                                totalmente embevecido
                                pelo que minha imaginação alcança,
                                mas,tenho medo,pai,
                                de me ver esmagado
                                pelo peso que me caia
                                quando percebo o mundo
                                sem ter você por perto...meu pai
                                a minha mãe.
                                 Onde buscarei palavras?
                                Inspiração?  e quando?
                                Como poderei ser justo
                                ao lhe falar do meu amor?
                                Onde e quando? e como?
                                Se és a minha mãe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário