segunda-feira, 1 de abril de 2013

"causos" Verídicos
                                                         O DIA DA MENTIRA


NO REINADO de Carlos IX (1560-1674),na França,o Ano Novo era comemorado no dia 25 de março,coincidindo com a chegada da estação primaveril.Havia troca de presentes entre as pessoas e a festança popular durava cerca de uma semana,terminando,portanto,no dia 1º de abril.
No ano de 1562,o papa Gregório XIII instituiria um novo calendário que perdura até os tempos presentes Essa mudança não foi aceita pelo rei  que relutou durante dois anos em aceitar o decreto papal,contando com o apoio dos chamados "franceses tradicionalistas".A patuleia os chamava de "bobos de abril",elaboravam programas para festas inexistentes,afinal,conforme sabemos,o Ano Novo no calendário Gregoriano começa em 1º de janeiro. A brincadeira migrou para a Inglaterra e daí para o resto do mundo.
Pesquisadores brasileiros estão seguros de que a brincadeira do 1º de abril ganhou impulso em Minas Gerais,quando o jornal"A Mentira" que veio a lume exatamente no dia 1º de abril de 1829 noticiava a falsa notícia do falecimento de Dom Pedro.
Na minha cidade natal,Cachoeira,na Bahia,a pilhéria,a baderna,a galhofa eram características dos açougues e das chamadas "tendas" de alfaiate e barbearias,frequentados apenas pelos homens. Mulher de respeito,sobretudo da sociedade,não passavam nem mesmo pelo passeio.
Para aquele 1ºde abril,o alfaiate chamado Silvino,tido na cidade como um profissional competente,porém,muito  chegado a curtir com a cara dos outros. Ele havia preparado com alguns empregados seus e da barbearia vizinha,uma pegadinha daquelas:pregaram fortemente uma moeda de dois vinténs na calçada bem em frente da sua oficina. E ficaram ansiosos no aguardo do "primeiro trouxa'.E eis que a vitima apareceu vestida de fraque,portando uma bengala e usando chapéu de palhinha...Ih,rapaz,não era possível! Era o Dr.Servílio Mário da Silva,cidadão conceituadíssimo,de temperamento avesso a brincadeirinhas,a contar piadas,afinal,exercia o cargo de Intendente (Prefeito)da cidade.Silvino,coitado,empalideceu.Sua mão ficou gelada. O suor frio descia pelo rosto.Apelou para a reza:


- Minha Nossa Senhora do Rosário,fazei com que,poderosa Virgem,o homem  não veja a moeda pregada no chão.Não deu certo. O Inimigo é arteiro e adora ver o circo pegando fogo.Então,quando o Dr.Servílio foi passando,o sol que estava escondido sob nuvens apareceu de repente e a moeda reluziu. Então,como diz o ditado, "só é maluco quem come merda ou rasga dinheiro",o Dr.Servílio,que não fazia nenhuma das duas coisas,abaixou-se para apanhar a moeda.enquanto Silvino,coitado,numa voz sumida em tom de súplica dizia:
- Tá pregada,doutor,tá pregada !
Só que o pessoal que assistia a cena abria a maior gargalhada e dizia:
- Primeiro de abril !  Primeiro de abril !
E Silvino,penitente:
- Eu prometo,ao senhor,doutor,eu prometo que não brinco mais !
Dizem que ele cumpriu a promessa.







Nenhum comentário:

Postar um comentário