segunda-feira, 29 de abril de 2013

OPINIÃO
                       A PÁTRIA DE CHUTEIRAS
Nos tempos do meu pai,era voz corrente que os brasileiros nasceram com o dom de jogar bola. No mundo ninguém se igualava a nós.O futebol, tornou-se uma paixão nacional e o nosso país a "pátria de chuteiras".
Eu era uma criança,ainda,num domingo de julho de 1950.Estava assistindo a um jogo no campo de futebol da Avenida Ubaldino de Assis quando ouvi no alto-falante "A Voz do Norte" instalado num poste o gol que fez todo mundo chorar,inclusive o meu pai. Perdemos o título para o Uruguai.
Quando o selecionado brasileiro disputou o título,na Suécia,em 1958,quando Pelé e Garrincha foram consagrados,a minha turma disputava um baba no adro da Igreja do Monte.A gente jogava e escutava os rádios que estavam ligados nas casas de Zeca Mascarenhas,da família Milhazes, e da família do maestro Tranquilino Bastos.
Com o advento da televisão,mesmo assistindo o vídeo taipe dias depois,cheguei à conclusão de que jogadores de outros países também tinham habilidade,obediência tática e coletividade, surgindo o surpreendente "Carrossel holandês" de 1974.
No ranking da  FIFA,caro ledor,dê um chute: qual é a posição do Brasil? Estamos em décimo nono lugar! Não foi atôa que o Santos de Neimar cai-cai levou um banho do barcelona,em Tóquio,e aseleção brasileira não ganha de nenhuma seleção de ponta.
Pra mim a illusão do futebol acabou.Confio mais no volei. Não serei pego de surprêsa nas próximas competições internacionais inclusive na Copa do Mundo.

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário