sexta-feira, 17 de maio de 2013

PEDIDO DE DESCULPAS
A implantação do IAENE na cidade da Cachoeira
 

Em dias passados escrevi aqui uma memória sobre a implantação do IAENE no Capoeiruçu,distrito da Cachoeira(BA),na qualidade de partícipe e testemunha ocular. Pois bem;no dia nove do corrente,recebi através do meu Correio Eletrônico um bem fundamentado protesto assinado pela senhora Carina de Vasconcelos Meirelles,subscrito pelas senhoras Telma Pinto de Vasconcelos,Márcia Pinto de Vasconcelos,Maria Vitória Pinto de Vasconcelos Abreu,Cleomenes Pinto de Vasconcelos e Ana Pinto de Vasconcelos Andrade sobre o que eu escrevi sobre a senhora  Cleodith,dona da propriedade rural adquirida pela Missão Adventista. No dia seguinte enviei o meu pedido de desculpas.
Pois é,amigos; mesmo com a experiência acumulada no perpassar de tantos anos nas lides jornalísticas,cometi uma injusta ilação acompanhada de uma condenável digressão,de um desvio do assunto em tela em nada enriquecendo o meu relato. Muito pelo contrário;acabei ofendendo a dona Cleodith que me recebeu em sua residência de forma tão cordial.
Passados 35 anos em que aconteceu a compra e venda da propriedade,exatamente em a tarde do dia 23 de fevereiro de 1978,ocasião em que coordenamos uma reunião na Câmara de Vereadores,resta-nos poucas lembranças das pessoas presentes. Foi elaborada uma Ata Extraordinária no livro próprio da Câmara.
Posso,ainda,testemunhar o seguinte:
1) Era voz corrente que a importância (três mil cruzeiros) foi uma doação da Golden Cross direta ao IAENE,não havendo,portanto,nenhuma intermediação do Poder Público;
2) A dona Carina de Vasconcelos Meirelles fez-nos uma declaração surpreendente: "temos certeza que (a quantia)não chegou a nossa mãe"
Tão logo a dona Cleodith deu-nos a sua palavra de que estava disposta a fazer negócio com a sua propriedade,naquele único encontro que tivemos,as negociações foram acordadas entre os advogados das partes. O da dona Cleodith era o advogado a quem ela estabeleceu uma procuração.
3)Finalmente,ao ratificar o meu pedido de desculpas,num preito de Justiça,quero registrar o seguinte: no dia da reunião a que nos aludimos na Câmara de Vereadores da Cachoeira,falou-se que, um outro interessado havia procurado a dona Cleodith com uma proposta mais vantajosa para ela.  Ela,no entanto,numa prova inequívoca de retidão de carater manteve a palavra empenhada.
A dona Cleodith Pinto de Carvalho Vasconcelos,portanto,devem-se-lhe os cachoeiranos a implantação do IAENE no local onde foi instalado.




Nenhum comentário:

Postar um comentário