sexta-feira, 22 de novembro de 2013

COMENTANDO

                                                          O Mensalão      

Erivaldo Brito
A Ação Penal 470 mais conhecida como mensalão acabou sendo partidarizada conforme pude observar nas doutas opiniões dos advogados conterrâneos Paulo Lobo, João Figueiredo e do renomado professor e poliglota Pedro Borges, dentre outras.
A corrupção no Brasil é supra-partidária e muitos escândalos surgiram envolvendo os maiores partidos. Assim, não consigo acolher a tese de que os envolvidos no mensalão são vitimas de perseguição política,que são presos políticos, afinal, o PT está no governo há 11 anos, Lula e Dilma é quem nomeou a maioria dos atuais ministros do STF.
Assisti a todas as sessões do STF ao vivo, pela Globo New. Concordo com a maioria dos brasileiros que o ministro Joaquim Barbosa foi intransigente e em parte,o grande responsável pelo desfecho do processo, mas o ministro Lewandowski em sua argumentação técnica não foi menos brilhante, se bem que antipático para a maioria dos brasileiros.
Eu cheguei a me levantar para aplaudir o ministro Gilmar Mendes quando defendeu a celeridade de julgamento pela Corte; “...a que ponto nós estamos chegando. Nós estamos beirando o ridículo!”
O recém nomeado ministro Barroso, um dos constitucionalistas mais festejados do país disse o seguinte: “para ir preso no Brasil é preciso ser muito pobre e muito mal defendido, (porque) o sistema é seletivo, é um sistema de classe, quase um sistema de castas.”
Com o início do cumprimento das penas, corrigindo-se os que têm o direito ao regime semiaberto, sinceramente não sinto pena dos que sujaram as suas biografias, enriqueceram, tramaram contra o sistema democrático e querem agora dar uma de heróis da pátria!
Fui escrivão de polícia durante um bom tempo em minha cidade e nunca vi nenhum preso assumir a culpa. Todos eram inocentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário