sábado, 7 de dezembro de 2013

A historia de Os Tincoãs/10

Capa original do disco

DEPOIS que o disco saiu e sobretudo depois que o trio fez uma apresentação na TV Continental, canal 9, foram vários os telefonemas que a emissora registrou e nos passou. Era muito grande a colônia cachoeirana residindo no Rio de Janeiro àquela época. Devido a isso, encontramo-nos com muita gente que já nem lembro mais. Como havia deixado  telefones para contato, falei com Margarida Duarte, antiga cantora do Coral da Matriz e com Ronaldo, irmão do companheiro de radiofonia Roberto (Alemão Bulangê).

Ronaldo apareceu de carro acompanhado de um amigo dele, um empresário do ramo de turismo chamado Erlon que nos levou até ao seu apartamento em Copacabana Em lá chegando.Ronaldo recordou dos tempos em que ele foi goleiro do "Real de Briô",  e do "Cruzeiro de Morenito", dizendo ter sido goleiro  “antes de Alemão ser contratado pelo Fluminense de Feira de Santana com o apelido de “Papai Noel” 

Logo depois surgiu o seu irmão mais moço, Roberval que estava fardado, era marujo, e, como os pescadores de um modo geral, exagerava um pouco nas suas "aventuras" pelo mundo afora. Logo depois que ele se foi, chegaram algumas moças que trabalhavam no ramo de turismo e hotelaria. Foi um final de semana...Xapralá!

A Barra era despovoada

Um dia apareceu na "república" o então cabo da Marinha Ulisses Damião Batista de Souza, o Mião de que já falamos aqui por ter sido ele, juntamente com Didi da Bahiana e Dadinho os componentes do Trio Caçula, percursor de Os Tincoãs.

Mião era songonçalense de nascimento. Seu irmão Cosme e Wilson Pavão jogaram futebol na região. Pavão inclusive foi campeão intermunicipal jogando pelo selecionado cachoeirano. Cosme e ele, juntamente com Dadinho, jogaram no 2º quadro do 2 de Julho que Acaçá armou e foi campeão invicto pelo campeonato sanfelixta.

Mião já era recordista em pistas de obstáculo. Depois foi campeão carioca, brasileiro,sul-americano e bicampeão mundial de pentatlo. No ano de 1969, durante um treinamento, sofreu um acidente que o afastaria definitivamente das pistas.

Conheci pessoalmente a cantora Ângela Maria, mezo soprano de raro talento, de um agudo poderosíssimo na Mayrink Veiga. Ela cantava de tudo: bolero, samba-canção, rumba, tango, fado... Ao vê-la ao vivo, pela primeira vez, (muito depois ela cantaria por duas vezes na minha terra), recordei-me de um parque de diversões que se armou no Campo Grande e eu a ouvia em disco de 78 rotações.

A cantora Ângela Maria.

Ângela Maria cantava sem apelação, sem deixar as coxas de fora e dando lance pra aparecer a calcinha. Outro dia ela apareceu num programa na TV Brasil. Claro que estando com mais de 80 anos ela não tem mais o frescor da juventude mas,continua esbanjando talento e deixando em mim  a certeza de que dificilmente aparecerá outra cantora que a suplante.

A apresentadora Hebe Camargo

Depois do programa "Almoço com as Estrelas" do qual nos reportamos no artigo anterior, fomos contratados para uma apresentação na mesma TV Tupi, no programa vespertino comandado por Hebe Camargo.

Morena, olhos expressivos, sobrancelha espessa, voz aveludada, Hebe não tinha a mania de dar "selinho" nos artistas convidados. Eu era o apresentador do trio, o "selinho" seria em mim. Não dei sorte!

Na entrevista, antes de o trio cantar "Adeus Amor" (que ela também acompanhou cantando afinadinho), respondi coisas da Bahia, falei da Cachoeira e acabei afirmando pra ela que eu andava muito de jangada. Se eu dissesse canoa não estaria mentindo.

Gilvan Chaves, cantor e compositor

Naquele mesmo dia fomos chamados à sala do diretor artístico da televisão Tupi, Gilvan Chaves, nordestino igual a nós; ele pernambucano de Olinda, nós de Os Tincoãs, baianos da Cidade Heroica da Cachoeira.

Gilvan, além de produtor artístico, era cantor e compositor. Dele eu já conhecia "Prece ao Vento":
Vento que balança as palhas do coqueiro
Vento que encrespa as ondas do mar
Vento que assanha os cabelos da morena
Me traz notícia de lá

E, também, "O Gemedor":  

Carro de boi que não geme não é bom
Carro de boi bom é o gemedor.

Carro de boi gemendo na serra Carregadinho de cana-de-açúcar Que vai levar pro engenho moer Pra fazer açúcar, pra adoçar café Café pra gente beber Pra fazer rapadura, pra fazer ‘mé’ Pro doutor ganhar dinheiro e comprar ‘Chevrolé’.
Fizemos uma amizade muito grande com o Gilvan, Várias de suas músicas faziam parte do repertório de Os Tincoãs para shws. Várias foram as apresentações ao vivo na TV Itapoan, canal 5, no programa "Ao pé da Fogueira" que ele comandou durante anos.
E a gente vai ficando por aqui. Bom "finde" para todos !

  

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário