segunda-feira, 16 de dezembro de 2013


                    Entre “aspas”
FUTEBOL
Meu amigo António José da Costa, precisa ser reconhecido em Cachoeira, ele que lutou tanto para conseguir coisas para nossa cidade, faleceu e foi esquecido, grande cachoeirano, honesto, lutador, idealista.
Uma pequena observação; na construção da arquibancada do estádio do Fluminense, liberado por António Porto, eu ( Juliel ) e Barriguinha ( Edvaldo ) fixamos as tábuas na estrutura de ferro.
Resposta: Bem lembrado, Juliel, o seu trabalho quando se construiu as arquibancadas onde estão (eu penso) no lado do rio, quando Pirinho foi presidente da Liga e colocou alambrado no campo. Falei da primeira arquibancada a que foi construída perto da entrada,toda de madeira.
PROFESSOR SALVADOR PASSOS
Erivaldo:fui colega de trabalho das filhas Lícia e Márcia ( falecida) no colégio. Bjs
Saudoso Tó. Frequentador assíduo da minha casa desde os tempos da 1º de Maio até a Massaranduba onde ia pra ver "Zela" e "Regi", como ele chamava os meus pais. Era uma pessoa da família mesmo com o não parentesco, uma espécie de tio emprestado. Figura marcante. Não tenho notícias dele fazem mais de 30 anos. Minha mãe falava muito do professor Salvador e de D. Edméia. Você primo me faz retroceder no tempo, relembrar a figura única de Tó e ainda tive a oportunidade de ver a foto do pai dele que eu não conhecia.
CAMURUJIPE
Já viajei muito nesse monobloco o 364 de serie bons tempo.  Hoje é a mesma coisa com a Santana
Naquele tempo era esse o tipo de modelo de ónibus década de 70 e 80.  A comparação é a mesma e o que dizer da J
aua com ar condicionado e a Santana sem ar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário