sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

O eixo da terra
 O COLÉGIO ESTADUAL DA CACHOEIRA havia implantado o Curso Madureza, instrumento criado pelo governo federal a fim de favorecer aos maiores de idade que ainda não possuíam o segundo grau. Por motivos óbvios, a demanda surpreendeu às expectativas; funcionários de várias repartições se fizeram representar, afinal, todos estavam de olho em promoções e enquadramentos funcionais futuros. Tonho Torres e Jurandir, da antiga Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (EBCT), eram alunos assíduos.
Certa feita, findos da aula, nossos hoje saudosos amigos entraram no PQTRLV, um barzinho contíguo à casa de ferreiro do mestre Pitu, no correr da agência Bradesco e pediram de imediato uma cervejinha bem gelada afinal, ninguém é de ferro !
Os nossos amigos vieram impressionados com a aula de Ciências, sobretudo com os movimentos de translação e da rotação. Jurandir é que tem a palavra:
- O movimento de translação, né colega, é aquele em que a terra e demais planetas fazem em redor do sol !
E Tonho confirma:
Que maravilha né colega? E a volta completa se dá em um ano, né mesmo?
Jurandir balança a cabeça arregalando os olhos enquanto esvazia o copo. E Tonho prossegue:
E a rotação, colega, é quando o planeta gira em redor do seu próprio eixo, o que a gente pode constatar por causa do dia e da noite.
Foi aí que Jurandir se quedou numa grande reflexão:
 Já pensou, colega, se esse eixo poca?!
E Tonho foi conclusivo:
Que nada, colega, deve ser de aço puro ! 



Nenhum comentário:

Postar um comentário