quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

       Premonição
VOCÊS LEMBRAM da Fátima, sobrinha da professora Maria José da Costa Magalhães, dona Zezé? Pois bem; o "causo" que segue foi ela própria que me contou há bastante tempo. Ela era, na ocasião,  recepcionista da Agência Bradesco na cidade da Cachoeira,na Bahia.
Num dia normal de expediente, ela foi atender a um cliente que era notadamente da zona rural. Ele desejava abrir uma conta poupança. Fátima, naturalmente, pensava em verder-lhe, também, um ToP Club e ganhar a sua comissãozinha.
Chegou até o balcão e apanhou na gaveta uma ficha de abertura de conta que ela passou para o futuro cliente. Percebendo que ela estava com dificuldades, pois estava tentando ler o formulário de cabeça para baixo, Fátima partiu em seu socorro:
- Veja bem; Eu mesma vou preencher para o senhor, depois o senhor assina. Sabe assinar?
O nosso amigo concordou balançando a cabeça.
- Eu vou perguntando e o senhor vai respondendo, tá bem? O senhor é solteiro, casdo ou viuvo?
E ele:
- Sou casado, dona.
- Qual é o regime do seu casamento?
O cabra empalideceu, começou a gagejar. Fátima insistiu:
- Qual é o regime do seu casamento?
E ele com a maior cara de curiosidade:
- Olha, dona, num seio cuma a sinhora adivinhô que nós tá de regime? Tamo dano umazsinha prum sumana !
Fátima desabou de rir e deve ter pensado: vou contar a Erivaldo pra ele contar nos seus "causos".



Nenhum comentário:

Postar um comentário