quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Temos o maior cuidado quando publicamos as coisas do passado porém, vez por outra, cometemos lapso de memória ou a fonte não nos foi fidedigna. No dia 20 de dezembro passado,por exemplo, escrevemos sobre o aniversário da elevação da cidade de São Félix aos foros de cidade. Pois bem: um amigo dileto nos informou que, depois de mais de um século, descobriu-se que a data exata não o 20 de dezembro!
Baseado no livro Notícia Histórica da Cachoeira n° 5/1972 da Universidade Federal da Bahia, de autoria do renomado jornalista,professor e historiador Antônio Loureiro de Souza,às páginas 60, incluí o nome de Manoel Martins Gomes como nascido na Cachoeira.
O sempre atento e estudioso amigo Igor fez uma educada advertência e estava certo.
Na semana passada, publicamos alguns autógrafos fac-similados de cidadãos que foram, no passado, influentes na vida pública da Cachoeira,e, de no vo, o jovem Igor faz a ob servação de que,  Servilio Mário da Silva era médico e não cirurgião dentista conforme informamos.
! - Eduardo Mendes Franco (1852-1906) - Maestro, professor de violino, piano e bandolim, fundador da filarmônica Comércio, atual Minerva Cachoeirana e da extinta Orfezina Cachoeirana. Regeu a 25 de Março de Feira de Santana e a Banda Municipal de São Félix, na gestão do coronel João Severino da Luz Neto.
2- Francisco Cardoso Fróes - Regente da filarmônica Minerva, compôs vários hinos sacros e Ladainhas, com destaque para a Jaculatória à Virgem do Rosário com versos do jornalista e poeta cachoeirano Sapucaia Sobrinho.
Sob a regência da filha de Chico Fróes, dona Stela, cantei a Jaculatória dezenas de vezes. Então, para a minha surprêsa, estando na Cachoeira, ouvi  cantarem a referida melodia com a inclusão indébita de outros versos na obra alheia, um enorme desrespeito e o total desconhecimento do que seja Jaculatória;  "uma oração curta e fervorosa que se diz por ocasião de novenas e outras devoções" Pode conferir no Dicionário.
3 - Manoel Tranquilino Bastos (1850-1935) - Maestro e compositor inspirado, apelidado pelos seus contemporâneos como "O Apóstolo da Música", fundador da Lira Ceciliana da sua terra natal, Cachoeira. Foi regente das seguintes filarmônicas: Harpa Sanfelixta, Lira Sangonçalense e Vitória de Feira de Santana.
Autor do Hino da Cachoeira, dentre várias composições sacras, árias par canto , hinos patrióticos, dobrados e marchas para filarmônicas.
4 - Sabino de Campos - Poeta e autor da letra do hino da Cachoeira. Publicou vários livros. Não era natural da Cachoeira. 
5 - Irineu Sacramento - Conhecido como o "Piston de Veludo", foi regente durante muitos anos da filarmônica Lira Ceciliana em substituição ao Maestro Bastos. 
O sobrado onde eu morava era contíguo ao da Lira e a minha família era amiga da família do velho Irineu. Casado com dona Pequena, o casal tinha uma filha chamada Zizete. Ele era natural da ilha de Itaparica.
6 - Manoel Mateus Ferreira, cachoeirano, músico, ourives, memorialista, publicou vários artigos no antigo "Correio de São Félix". Fazia parte da Orquestra da Ajuda, que era regida pelo maestro Camellier.

Nenhum comentário:

Postar um comentário