sexta-feira, 4 de julho de 2014


 COMENTANDO
O QUADRO DE PARREIRAS
O pintor Antônio Parreiras
Governava o estado da Bahia o doutor Vital Henrique Batista Soares quando foi contratado o renomado pintor  Antônio Diogo da Silva Parreiras (1860-1937) a fim de retratar "O primeiro passo para a Independência da Bahia".
A tela em apreço, que relembra o ato heróico da resistência dos cachoeiranos de antanho às tropas lusitanas, encontra-se no acervo do Palácio Rio Branco, na capital do estado.
O notável pintor nitoriense (RJ), munido de documentos históricos, hospedou-se na Cachoeira, no próprio cenário onde se desenrolaram os acontecimentos, valendo-se, também, de apontamentos do "Livro de Aforamento do Convento do Carmo", produzindo mais de quarenta desenhos e croquis, recriando personagens e dando o devido tratamento pictórico.

No dia 10 de novembro de 1928, sendo prefeito municipal da Cachoeira o coronel Cândido Cunegundes Barreto contratou Parreiras pela quantia de cinquenta contos de reis (padrão monetário da época), dizendo que, "a Cachoeira não poderia deixar de possuir tão magistral trabalho artístico".(foto)
A concepção artística é maravilhosa. Com um simples golpe de vista observa-se toda a dramaticidade de uma cena ricamente movimentada, fixando-se, naturalmente, na figura do tambor-mor Manoel da Silva Soledade. 
A cerimônia da inauguração da tela que permanece em a sala das sessões da edilidade cachoeirana se deu em a tarde do dia 25 de junho de 1931, há 83 anos passados, em solenidade presidida pelo prefeito Dr.Cândido Elpídio Vacarezza tendo em vista que o titular, Cunegundes Barreto havia falecido no dia 20 de março do referido ano.


 
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário