quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Antes da chegada do  Natal chegou o verão aqui no Rio. E chegou pra arregaçar, a sensação térmica, segundo li nos jornais é de cinquenta graus! Calor de maçarico. 
Fazer compras na SAARA, - o maior centro comercial a céu aberto - sobretudo no dia de hoje, véspera do Natal, é coisa de doido mas, o movimento foi enorme.
A coisa mais interessante, galera, é que uma enquete realizada entre a garotada, 90% considera a festa como sendo do Papai Noel !!!  E o Grande Aniversariante? Os Natais mudaram ou mudou eu?
A FIGURA DO PAPAI NOEL
Não sei até que idade eu cria no "Bom Velhinho". Eu não escolhia presentes mas o Papai Noel me dava sempre cornetas, tambores, realejos...Eu adorava!  então, foi o meu amigo de infância, Sócrates, mais conhecido como Tó, filho do professor Salvador, com aquela voz fanha que falou pra mim: 
- Deixa de ser besta, que papai Noel que nada! Sabe quem é que bota o seu presente enquanto você dorme? É Laurinha!
Engraçado é que ainda hoje eu fico aborrecido.rsrsrs
A origem do papai Noel vem da Ásia Menor. No século quarto, um bispo chamado Nicolau, clérigo muito piedoso,costuma distribuir alimentos, roupas e agasalhos aos necessitados da sua paróquia durante a época natalina.
A figura do Papai Noel era emblemática. Como o conhecemos hoje, se deveu a uma bem sucedida peça publicitaria de uma famosa marca de refrigerante.
Quando eu morava na Vila Residencial de Muritiba, na Bahia, o Papai Noel era meu amigo e frequentava a minha casa. Chamava-se Evandro, mais conhecido como Evandro Papai Noel (foto) Gostava de declamar versos sobretudo de cordel e tinha um repertório enorme de anedotas. Saudades!
CARTÕES DE NATAL
O Google me informou que foram inventados por um inglês chamado Henry Cole, nos idos de 1843 e foram aparecer no Brasil apenas na d´cada de cinquenta.
Este ano, até agora, só
 recebi um!  É que meu irmão, Erione, tradicionalista da gema, não aderiu à moda dos cartões eletrônicos.
OS PRESÉPIOS
 NOS DIAS ATUAIS poucas famílias se dão ao trabalho de armar presépios. Quando estive secretário de educação da cidade de Muritiba,na Bahia, na primeira gestão do prefeito Epifânio Sampaio, mais conhecido pela alcunha de Babão,com a colaboração das professoras Selma e Vaninha, promovemos um Concurso de Presépios mas a receptividade foi quase nula.
O pessoal, hoje, prefere a comodidade de ÁRVORES DE NATAL prontas, bolas inquebráveis e não mais aquelas de aljofre  que quebravam atoa e pisca-pisca de origem asiática quase de graça.
Na foto acima a minha neta, Luiza, na papelaria que fica na parte terra do prédio onde moramos.
Quando eu era criança, praticamente em todas as casas da minha Cachoeira se armavam presépios, enfeitados com casinhas feitas por Eduardo, mais conhecido como Sangue Azul, as figuras de barro confeccionadas pelo pai de Tamba, areia da barra, conchas, o ananás, musgos e folhas de são gonçalinho jogados pelo chão. Ah! os presépios dos meus tempos de menino. Era uma festa democrática e social as famílias se visitarem. Levado pela minha madrinha visitava várias casas. Lembro-me, porém, do presépio do sobrado de seu Mota e dona Naninha, o de dona Delcina na rua Ruy Barbosa e o de Douglas de Pipoca na rua dos Artistas.
AMIGO-SECRETO
Eu trabalhava na obra de Pedra do Cavalo quando surgiu a novidade. Cada participante tirava um papelzinho dobrado com o nome de seu "amigo-secreto" que só seria revelado no dia das comemorações natalinas.
Foi então que aconteceu um fato interessante; Lima, que trabalhava na administração andou pelos quatro cantos se queixando;
- Que merda! Fui tirar logo o nome de um desgraçado puxa saco da chefia, dos engenheiros...
Ao ouví-lo, cheguei a aconselhá-lo:
- Olha,Lima,sei que você não me tirou porque já falou várias vezes eu estando presente, agora, se você me ouvir, pare de se queixar, se você tinha restrições a algum nome, não entrasse.
E ele:
- Eu não pensei, Brito, que eu fosse dar o azar !
No dia da festa, salão de festa lotado, sentia-se no ar aquele ar de apreensão. Quando chegou a hora de Lima ele abriu um sorriso e com o seu presente na mão aproximou-se do microfone. Eu pensei; será que ele deu o jeito de trocar o nome do seu detestável amigo-secreto? Aguardei ansioso. Ele anunciou:
- O meu amigo secreto é uma pessoa muito querida, muito amável, sempre disposto a ajudar aos outros. Meu amigo-secreto (e foi se aproximando dele) é o chefe de administração...Antônio Borges !
E levou o maior empurrão. Borges berrou:
- Meta seu presente no cu, quem é safado e puxa-saco dos engenheiros e você!!!

Deu trabalho para o quieta-acomoda e a festa terminou sem brilho.
Feliz Natal,galera, obrigado por prestigiar o nosso trabalho aqui neste blogger.



 
 




Nenhum comentário:

Postar um comentário