sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Os que estiveram naquele domingo, dia 17 de maio de 1968 no Estádio Jóia da Princesa, em Feira de Santana, a fim de assistir o jogo entre os selecionados da Cachoeira e Feira de Santana, por certo hão de se lembrar dos momentos finais da partida cujo resultado final foi um empate de um a um.
Feira de Santana armou um excelente time, inscrevendo até alguns atletas que atuaram como profissionais. Então, galera, foi um sufoco danado que a defesa cachoeirana passou. Perguntem a Gilvando Soares da Cruz (Ceguinho) que foi o goleiro. Ele deverá lembrar-se que, durante uma verdadeira blitz,fez verdadeiros milagres, um dos quais com o atacante invadindo a área e ele saindo desesperado, gesticulando freneticamente com os braços para tirar a atenção do jogador e a bola bateu no travessão. A partida poderia ter acabado naquele instante. Poderia porque o juiz da partida deu mais cinco minutos de prorrogação !
Foi aí, crianças, que se destacou um jogador chamado Marivaldo (foto).que com muita habilidade começou a conduzir a bola pelas extremidades do campo, provocando sucessivos laterais. A bola voltava pra ele e ele continuava a prendê-la de forma que foi um dos, senão o grande responsável pelo empate. Grande Marivaldo!




 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário