sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

A venda de lança-perfume
O lança-perfume fazia parte dos festejos do carnaval e, juntamente com o confetes e as serpentinas, eram vendidos legalmente conforme podemos ler nas páginas de O Pequeno Jornal de 23 de julho de 1944.
  A comercialização do lança-perfume foi proibida pelo então presidente Jânio Quadros (charge ao lado) que governou o país durante 7 meses, apenas. A alegação é que  houve a desvirtualização do uso pela galera que começou a inalar o produto e misturar em bebidas.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário