sábado, 21 de março de 2015

ESPORTE
Pedalando..pedalando... 
Tem sido notório o esforço da prefeitura do Rio no sentido de incrementar o uso da bicicleta como meio de locomoção. Além da construção de novas ciclovias, estabelecimentos bancários oferecem bicicletários para os seus clientes. O investimento vem dando bons resultados, segundo pesquisas, uma verdadeira "mão na roda". Eu que jamais me atreverei a dar pedaladas por aqui.
Na minha cidade natal, Cachoeira, na Bahia, embora populares, nem todo o mundo podia comprar uma bicicleta, não havia ainda crediário na terrinha. Eu mesmo comprei uma de segunda mão do meu amigo de infância Wilson Santos, o popular "Galo Doca". Eu precisava de uma pois estava trabalhando em "A Brasileira" de Manoel Nonato Borges, seu Maneca e isso falicitaria minhas indas e vindas até São Félix.
 Que eu me lembre, existiam na Cachoeira duas agências para alugueis de bicicleta: na praça doutor Milton, na subida da ladeira da cadeia e a outra na rua coronel Albino Milhazes, popularmente chamada de "Bacia do Iguape".
O pessoal, sobretudo da zona rural,alugavam a bicicleta e iam para o Jardim Grande onde "escalifafam" a bichinha, davam freio de arrasto, batiam os pneus no meio-fio...
Na década de 60, o primogênito da estimada família Lobo, meu querido amigo Roberto Herval Lopes, Alemão, juntamente com Louro, fizeram o percurso,,  a pé, da Cachoeira até Salvador, cerca de mil quilômetros. Depois, num papo descontraído, Roberto me confidenciou que eles pegaram algumas caronas de caminhoneiros.
O fato ganhou notoriedade, foi manchete de A Tarde, quando Roberto declarou que realizaria uma tarefa mais grandiosa; sairia da Cachoeira e viria para o Rio, de bicicleta, promessa que ele efetivamente não cumpriu, infelizmente. 
 
 

 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário