sexta-feira, 3 de abril de 2015

MEMÓRIA
A tragédia na rodovia da Cachoeira 
Era um dia calmo de um domingo, 20 de março de 1988, quando por volta do meio dia e meia, o caminhão da marca Chevrolet de placa policial DL-5160, no quilômetro 28 da BR 026, nas proximidades do bairro da Pitanga despencou de uma ponte, desastre do qual morreram 58 pessoas e 13 gravemente feridas.
Todos os passageiros eram oriundos do município de Pedrão, eram romeiros e se dirigiam para a fonte de Santa Bárbara na vizinha cidade de São Félix.
A causa do  acidente foi atribuída a imprudência do motorista Edgar da Silva, que a fim de faturar uma grana, "armengou" a viatura que durante todo o percurso apresentava problemas.
Na descida para a Cachoeira, testemunha ouviram um estrondo no sistema de freios, o caminhão então ganhou velocidade, desgovernado porque também a direção ficou avariada, chocou-se contra a amurada da ponte e despencou de grande altura capotando várias vezes.
O mais incrível é que, após quatro dias da tragédia, foi encontrado o 15° sobrevivente, o feirante Raimundo Félix da Silva daquele que foi durante anos, o maior acidente automobilístico do país.
Na foto acima, da esquerda para a direita: Com a altura da queda o caminhão ficou destroçado.
A direita, acima: A fonte de Santa Bárbara na vizinha São Félix local do destino dos romeiros
Na foto abaixo, corpos mutilados das vitimas no necrotério da Santa Casa de Misericórdia da Cachoeira.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário