sábado, 20 de junho de 2015

COMENTANDO
O Fator Previdenciário
Colocar em risco a sustentabilidade do modelo brasileiro de previdência é uma história que se fala há pelo menos trinta anos, que o aposentado "é um vagabundo" etc e tal.
Quando estava ministro da Previdência o ex-governador da Bahia e atual Vereador da capital, Waldir Pires, ele anunciou que havia "zerado a previdência", ou seja, receita e despesas batiam e até um certo superavit.
Criado o Fator Previdenciário pelo então presidente da República Fernando Henrique Cardoso, o Congresso, hoje, pretendia modificá-lo criando a fórmula 85/95 (pontos), ou seja, o tempo de contribuição somado à idade da pessoa. A presidente vetou e apresentou uma fórmula nova.
Fala-se em bilhões de dólares, que o governo, em duas décadas, não terá como pagar aos aposentados e pensionistas. O que ninguém fala é o que é desviado da receita para a assistência social, a manutenção de um ministério com todas as regalias burocráticas e cabide de emprego.
Quando o inoperante Waldir Pires assumiu o governo do estado, extinguiu a Desenvale, como por sinal fez o mesmo presentemente o atual governador acabando com uma empresa que cuidava da extensão rural. Os funcionários que façam adesão a um plano de demissão voluntária ou vá se queixar ao bispo, pois até a decisão do Judiciário e tida por ele como a de "um juizinho de merda"!!!
Em cima da hora, graças à amizade que eu fiz durante a obra, editando inclusive um mensário com o nome de "Desenvale Notícias", consegui a minha inscrição para fazer um curso, em Salvador, de operador de subestação. Foi um período muito duro na minha vida, tendo de estagiar em subestações dentro do mato cerrado, dormir no chão, até que,fui transferido para operar a subestação elétrica de Pedra do Cavalo (foto abaixo).
Por ser um trabalho altamente periculoso, consegui a minha aposentadoria por tempo de contribuição antes do Fator Previdenciário.Hoje, no time dos idosos e aposentados, graças a Deus com energia e saúde, continuo trabalhando, viajando todos os dias em distâncias superiores a minha cidade natal até a sua capital, graças a Deus com energia e saúde,a fim de minimizar um pouco o cruel massacre feito por sucessivos governos nos proventos depositados mensalmente pelo INSS.
Como outros aposentados, continuo pagando impostos e movimentando a economia, ou seja, do que ganho, grande parte retorna aos cofres públicos em forma de impostos.
Os aposentados,segundo dados recentes do IBGE, representam 30 milhões de votantes, no entanto, a falta de representatividade é latente. Os jovens são imediatistas, mesmo que amem os pais, tios e avós eles querem é aproveitar o presente mas,na realidade, o futuro para eles é que é incerto. 
 


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário