sexta-feira, 10 de julho de 2015

 
PESQUISA
A telefonia na Cachoeira
Em 1876, os Estados Unidos da América comemoravam o centenário de sua independência. Dentre os eventos programados, realizava-se na cidade de Filadélfia, a Exposição Internacional de Arte, Manufatura e Produtos do Solo e das Minas. O nosso progressista imperados D.Pedro II estava lá onde acabou por conhecer um professor escocês chamado Alexandre Grahn Bell, que apresentou um aparelho de sua invenção a que ele deu o nome de "aparelho acionado pela voz humana". 
Bell, acanhadamente abordou o nosso monarca para experimentar o seu invento. Dom Pedro arregalou os olhos azuis e quase caiu da cadeira, exclamando:
- Meu Deus, isso fala!
Cumprimentou Alexandre e providenciou trazer a nova geringonça para o Brasil, que foi um dos primeiros países a instalar o telefone.
Na década de vinte, durante a gestão do doutor Cândido Elpídio Vacarezza, a Cachoeira vivia o seu apogeu econômico. Formou-se uma empresa com o objetivo de se instalar na Heróica os serviços de telefonia.
Assim, no dia 6 de março de 1926, - há 89 anos passados, portanto -, tal pretensão foi realizada, com a instalação dos primeiros telefones, a saber: Prefeitura, Casa de Detenção, Dr.Leopoldo Boaventura, Garagem Auto Cachoeirano, Hipólito Peixoto,  Augusto Régis, Guilhermino Barreto, Laurentino Raposo, Sebastião de Souza, Manoel Gonçalves Rafael, Juvenal Botelho, Antônio Garcia, Juvenal Paim, Robustiano Pontes e Costa Ferreira & Penna.  Quinze aparelhos, apenas. mas, era considerado notável progresso.
As ligações eram feitas através de uma central telefônica. O usuário entrava em contato com uma telefonista e ficava "aguardando linha", por vezes por angustiantes minutos. Uma boa amizade com as telefonistas valia a pena.
Quando, enfim, a "ligação era completada", por vezes, até falar para a vizinha São Félix o sujeito tinha de se esgoelar. 
A rapaziada de hoje já nem sabe o que é telefonista, está cercada de tecnologia de ponta, conectada via Internet com o mundo, não avalia o quanto a minha geração penou para chegarmos ao estágio atual.
 Na foto acima, duas telefonistas: A da esquerda, Dete Teixeira carregando uma menina de apenas 4 meses chamada Luiza, que viria a ser minha esposa, em segunda núpcias, mãe de Wladymir e Tinho Brito. Na foto seguinte,aparece costurando, a telefonista Eunice, também muito querida dos usuários.



 
 



                                                                                              

 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário