sexta-feira, 16 de outubro de 2015


MAU COMPORTAMENTO
Fazer xixi na rua
Algumas capitais e cidades do sul do Brasil fazem exceção à regra; são limpas, ninguém joga lixe, ponta de cigarro ou faz xixi na rua.
Aqui no município do Rio, a prefeitura não está dando sopa aos mijões, e a multa é pesada: R$ 510, valendo o mesmo para quem for pego fazendo o "número 2". Já vi, aqui em Copa, fiscais circulando com maquininhas de cartão. Um deles, atendendo a minha curiosidade, falou que a multa pode ser parcelada. Em se tratando de arrecadação, galera, governo nenhum facilita e não dão opção para os idosos que necessitam usar mictórios com mais frequência, e quase nenhuma casa comercial dá permissão.  Banheiros químicos só são instalados em grandes eventos.
O mau hábito de sujar as ruas vem desde os tempos do Império. Em 1776, o Marquês de Lavradio assinou um Decreto apenando com multa "todo o sujeito que for pego arremessando pela janela águas servidas sem avisar  água vai"! Água servida podia ser urina ou de banho.
Na minha cidade natal, antes das obras de esgotamento sanitário, o costume de descarregar pínicos nas ruas  era comum, conforme registros da época. Usavam-se duas expressões:
- Lá vai água !
- Sai de baixo, Ioiô, que lá vai cocô! 
Já lí e ouvi comentários de que tal costume, que tal comportamento se deve aos nossos avós africanos, o que nós discordamos, apresentando como prova uma aquarela do pintor francês Jean Baptiste Debret em que aparece um nobre da Corte mijando numa rua do Rio. Assim, galera, o mau hábito atribuído apenas aos africanos, herdamos,também, dos europeus.
 Na primeira gestão do prefeito Julião Gomes, ele mandou construir dois sanitários públicos no Riacho Pitanga, em frente ao mercado municipal. Não deu certo porque o uso intenso sem higienização praticamente inviabilizou a entrada de alguém, até mesmo de passar pelo passeio.
Hoje, o local foi transformado em local para venda de peixes e crustáceos.
Todo mundo sabe que ninguém, por mais pobre que seja, joga ponta de cigarro, papel, ou mija na sua própria sala de visita. Então por que o faz nas artérias da cidade? Uma boa campanha nos colégios não daria resultado?
Não acredito que nehum prefeito tenha coragem de estabelecer multa a quem for pego jogando lixo ou fazendo xixi na rua, porque o cumprimento seria difícil: "você sabe com quem está falando?" "Eu sou amigo de tal vereador".
Não posso afirmar se, durante os grandes eventos como Flica e a Feira do Porto são instalados os sanitários químicos, afinal, não há como tomar uma cervejinha sem ir ao banheiro.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário