sexta-feira, 27 de novembro de 2015


A morte do deputado Augusto Públio

Salvador, 26 de novembro de 2015.
Ubaldo Marques Porto Filho
Escritor
Em 26 de novembro de 1960, um sábado, chegou uma notícia que abalou Cachoeira. Tinha morrido, na manhã deste dia, no Rio de Janeiro, o deputado federal Augusto Públio Pereira, vitimado por um câncer no pulmão, provocado pelo vício do tabagismo.
O parlamentar do Partido Social Democrático (PSD) estava com 53 anos e o seu corpo foi transladado para a capital baiana e velado no Salão Nobre do Palácio da Assembleia Legislativa, no Campo Grande, de onde saiu o féretro para o Cemitério do Campo Santo, em Salvador.
Nascido na Cachoeira, a 21 de janeiro de 1907, Augusto Públio formou-se pela Faculdade de Medicina da Bahia na turma de 1927. Iniciou-se na vida profissional como médico em sua cidade natal.
Foi deputado estadual de 1935 a 1937. Na fase da ditadura do Estado Novo (1937-1945), quando as casas legislativas do país permaneceram fechadas, ele foi provedor da Santa Casa de Misericórdia da Cachoeira (1938-1941) e ocupou uma diretoria no Banco de Administração, com sede em Salvador.
Com a redemocratização, o doutor Augusto voltou à Assembleia Legislativa da Bahia em 1947 e a presidiu de 1952 a 1955. Nesse período, substituiu temporariamente o governador Régis Pacheco nas suas viagens.
Em 1954 era o preferido dos parlamentares do PSD à sucessão de Régis Pacheco. Mas o presidente da Assembleia Legislativa abriu mão da candidatura (a eleição era tida como certa) em favor de Antônio Balbino, ministro da Educação e Saúde Pública, que se elegeu governador da Bahia. E, assim, Cachoeira perdeu a oportunidade de ter um governador efetivo.
Ainda em 1954, no auge do prestígio político, Augusto Públio candidatou-se à Câmara. Foi deputado federal de 1955 a 1959 e de 29 de agosto de 1960 até o dia da sua morte. O doutor Apolinário Lopes das Candeias, conceituado cirurgião-dentista na Cachoeira, que fazia discreta oposição política ao deputado, pois era membro do diretório local da União Democrática Nacional (UDN), principal partido de oposição ao PSD, fez o seguinte comentário, que sintetizou com precisão a trajetória do parlamentar cachoeirano:
Formado em medicina e Dep.Estadual


"O doutor Augusto Públio foi o mais destacado líder político que Cachoeira teve nos últimos 25 anos".
Conheci o deputado quando meu pai, fiscal do Banco do Brasil, foi residir na Cachoeira, num sobrado na Rua Prisco Paraíso, bem próximo da casa que o chefe político possuía na cidade. No dia das eleições de 1958, em 3 de outubro, a casa do doutor Augusto ficou repleta de correligionários. E na curiosidade dos meus 13 anos de idade, entrei para ver bem de perto o caudilho que tinha sido governador interino da Bahia. Ele era alto, magro, calvo, de pele bem alva e muito educado. Estava fumando um cigarro e trajava um impecável terno de linho branco, que diziam ser a sua marca registrada.
Propaganda do então candidato
Augusto Públio era casado com Maria Regina Vaccarezza Santos e ambos provinham de famílias importantes. Ela era neta de Cândido Elpídio Vaccarezza, médico, empresário e político, que foi presidente da Câmara Municipal, intendente e prefeito da Cachoeira. Enxergando carisma e potencial político no jovem médico, o caudilho o introduziu na vida política.
O parlamentar morreu sem deixar descendência. Também não deixou herdeiro para o seu legado político. Cachoeira nunca mais teve, e lá se vão 55 anos, um líder com o prestígio e o poder enfeixados por Augusto Públio Pereira, que chegou a ser idolatrado por grande parte dos cachoeiranos.
Suas chegadas na cidade, vindo de Salvador, eram sempre festivas e com a presença de uma filarmônica, especialmente a Lyra Ceciliana. O povo costumava ir recebê-lo na estação ferroviária ou no cais do porto.


Enchente de março de 1940, rua Prisco Paraíso, vários canoeiros e passageiros. O nível do rio Paraguaçu ainda se apresenta baixo na referida artéria conforme a gente pode observar.
Se a gente se detiver um pouco mais, vai constatar que nesta foto de 75 anos passados, já não existem diversas casas.



PESQUISA
Correios e Telégrafos na Cachoeira

Mediante decreto datado de 7 de junho de 1831, volvidos, pois, 184 anos, eram criadas as Agências Postais para o interior. Como era de praxe, a então pujante Vila de Nossa Senhora do Rosário do Porto da Cachoeira - nome de batismo da minha terra natal -, foi uma das primeiras que teve implantado tal benefício para a sua população. A instalação da referida repartição se deu no ano seguinte, ou seja, no ano de 1832, sendo encarregado de conduzir as correspondências à então capital da Província - Salvador -, o cidadão Clemente Joaquim de Araújo, chamado à época de "mestre de barco".
Com o crescente número de correspondências que saíam e chegavam, cinco anos depois, em 20 de maio de 1837, era nomeado um dos primeiros carteiros da Bahia, o cidadão José Rui Dias de A´Fonseca. No entanto,apenas  seis anos depois é que as correspondências passaram a ser entregues nas residências.
Segundo o meu saudoso amigo Francisco José de Mello, poeta, historiador e memorialista notável, devido ao grande movimento, no ano de 1910, foram implantadas nas principais ruas, algumas caixas coletoras feitas de ferro.
A Agência Postal da Cachoeira funcionava na Rua Rui Barbosa nº 9, antiga Rua das Lojas, local comercialmente estratégico, portanto.
Um ano depois, no dia 23 de janeiro de 1911, a Agência cachoeirana passou a ser a sede do 2º Distrito Telegráfico, coletando as comunicações do interior até o norte do estado das Minas Gerais.
Em 11 de dezembro de 1821, deu-se a mudança da sede da Agência para a antiga Rua Dr.JJ Seabra, quando da  criação do Departamento de Correios e Telégrafos, permanecendo ali até meados de 1950, mais ou menos.

No dia 19 de novembro de 1943, acontecia a solenidade de batimento da pedra fundamental no terreno onde ficava originalmente a Casa de Farinha. A feira livre era realizada ali, na Praça dos Tamarindeiros, depois Praça da Regeneração,e, na ocasião, já, Dr.Milton. 
A inauguração do novo prédio se deu no ano seguinte, conforme foto abaixo:
 
Foto atual do prédio da EBCT e da inauguração. Identificamos o então prefeito da cidade, Augustio Régis (1), Engenheiro Augusto Ramos, Diretor Regional dos Correios (2), Padre Augusto Cavalcante (3), José Câmara, Chefe da Agência (4) e Helvécio Vicente Sapucaia, Tabelião de Notas e Ofícios (5)
O edifício, pois, completou 71 anos de inaugurado. Hoje, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, em face mesmo dos modernos meios de comunicação instantânea, perdeu muito da sua importância, poucos passam telegramas, enviam cartas, ou cartões postais etc, mas, a empresa modernizou-se, também, com entregas rápidas via Sedex e os serviços de banco postal.

DANDO UMA FORÇA 



O disco de Tinho Brito

Depois de volvidos 50 anos, voltei a um estúdio de gravação no domingo passado a fim de dar uma força no primeiro disco solo do meu filho caçula, Tinho Brito. O samba intitulado "Conselho" de minha parceria com ele achei que seria o suficiente mas ele insistiu tanto que queria a voz de um velho Tincoã. E eu fui. Ele disse que me saí bem. Tomara. Vamos aguardar.
É chato falar de um filho mas, ele realmente foi agraciado com o dom da musicalidade, como outros filhos do meu primeiro casamento, Lerinho e Rosinha. Uma das composições dele fez parte da trilha sonora da novela "Babilônia" e ele, além de levar uma graninha tomou gosto. Eu o incentivo a concluir o curso de Direito e especializar-se por exemplo em Direito Autoral , já que ele é do ramo e conhece muita gente.
Pronto. Já fiz o comercial.

 
MEMÓRIA

O quadro épico de \Parreiras


Há 87 anos passados, mais exatamente no dia 10 de novembro de 1928 chegava à Cachoeira o renomado pintor nitoriense, Antônio Diogo da Silva Parreiras, (foto) um senhor de 68 anos de idade, que foi contratado pelo governo do estado a fim de reproduzir em tela o épico acontecimento do dia 25 de Junho de 1822.
O pintor, apesar da idade, tinha um vigor físico impressionante. Na Cachoeira ele ouviu pessoas, fez vários esboços, pesquisou os arquivos existentes na Prefeitura,e, ao visitar a Igreja da Ordem Terceira do Carmo, escreveu no livro de visitantes "que nem mesmo no Vaticano ele havia visto algo de tanta beleza plástica".  Simpático, não?
Quem governava a Cachoeira naqueles dias era o Coronel Cândido Cunegundes Barreto (1928/1930) que acabou adquirindo para a municipalidade o "estudo" feito pelo pintor. Assim, como "estudo" para a realização do quadro encomendado pelo governo do estado,o quadro possui alguns erros de anatomia como o religioso de mãos levantadas.
Não tenho informações seguras se na época (1822) ainda existia no prédio da municipalidade o campanário, como os das cidades de Maragojipe, Santo Amaro, São Francisco do Conde e Salvador, bem como se ainda existia um arco (à esquerda do prédio) que, tudo indica -  foi fechado, e no pequeno recinto instalado alguma coisa. Eu alcancei com  sede do Tiro de Guerra. Observe que, a falta do arco dá um desequilíbrio na arquitetura com uma janela isolada.


No ano de 1971, eu estava secretário da prefeitura, na primeira gestão do prefeito Ariston Mascarenhas. Certa manhã, para minha surpresa, quando ia subindo para trabalhar, vi que o quadro estava na referida localidade e que um moço chamado Gilberto, recém chegado na Cachoeira, seria o "restaurador". Voltei e vi passando pelo passeio o amigo Dante Lamartine. Chamei-o. Ele atendeu ao meu pedido. Sem dar uma palavra mostrei pra ele o absurdo que estava por ser cometido. Ele foi direto ao escritório do Patrimônio,bem em frente. Fez a denúncia e o professor e historiador Rubem Rocha notificou o prefeito.
No dia seguinte, Ari chegou no gabinete muito zangado, dizendo que Dante ficou chateado porque ele não foi o escolhido etc e tal. No dia seguinte, falei com ele, com bastante calma, sem dizer que fui eu quem chamou a atenção de Dante: 
- Olha, cabo (ele gostava de ser chamado assim), infelizmente algumas coisas em nossa terra dependem de pareceres técnicos, de profissionais especializados. O quadro da Câmara de Vereadores, para ser restaurado, tem de ser um técnico no assunto, não é um pintor qualquer.
E ele me respondeu:
_ Então eu vou deixar essa merda como está, com a moldura caindo aos pedaços.
E eu respondi:
- Tai... a moldura você pode consultar o Patrimônio e é possível conseguir uma que seja mais ou menos a que está podre.
E a moldura foi trocada e a pintura (a não ser um pedaço da nuvem que o tal "restaurador" mexeu), continua intata até hoje. Espero.

FUTEBOL

O Corinthians cachoeirano

O Botafogo carioca, o Glorioso, em dias atuais se gloria por voltar à elite do futebol brasileiro, com direito a gritos da torcida de "o campeão voltou!", poster em revistas etc. 
O decano dos clube baianos, o Vitória vai voltar, também, mas,está longe, ainda, daquele time maravilhoso que o saudoso Pirinho armou quando presidente. O meu "Baêa", coitado vai ficar no aguardo do Vasco cuja torcida anseia por um milagre para escapar da zona da degola.
Houve uma época  em que os clubes daqui do Rio de Janeiro rivalizavam e até chegavam a superar as torcidas de clubes baianos. O Botafogo, por exemplo, naqueles tempos de Heleno, Nilton Santos, Didi, Garrincha e Zagalo, tinha inúmeros torcedores na Cachoeira, destacando-se dos que estou a lembrar agora, o prefeito Anarolino Pereira (irmão de deputado Augusto Públio cujo passamento foi rememorado pelo amigo escritor Ubaldo Filho), Né Gottschal e Manoel Casaca Vermelha.
Com antecedência de duas rodadas o Corinthians conquistou e hexacampeonato brasileiro, e, com um time de reservas, deu um chocolate no São Paulo: 6 a 1 !
 A Cachoeira já teve um clube chamado Corinthians, que foi fundado no dia 25 de abril de 1931 com a seguinte diretoria:
 Henrique Guimarães (presidente), Esmeraldo Paulino (vice presidente), Paulo Menezes (1º Secretário), Aníbal Carvalho (2º Secretário), Firmino Leite (diretor de esporte), Cândido Melo, Joaquim Pinto e José Pimentel (comissão de sindicância), Jackes Rocha,Ângelo Serra e Urbano Barreto (comissão de contas).
O Corinthians Cachoeirano disputava o campeonato em São Félix, no Estádio Dr.Arlindo Rodrigues. Um dos jogos mais esperados pelas populações das duas cidades foi o que aconteceu no domingo, dia 7 de janeiro de 1934.  O clima era tão tenso que foi pedido um reforço policial mas, nada de grave aconteceu. Houve um empate de 1 a 1.
O time básico do Corinthians era o seguinte:
Didi, Zeca Pau de Taca, Conceição, Dondom Fotógrafo, Julião Gomes, Homem de Aço, Jackes, Lindu, Candinnho, Nebulosinha e Magno. 

 
ACONTECEU

A Árvore de Natal da Lagoa não resistiu ao ventinho do final da semana passada, envergou e caiu,adiando assim a tão esperada inauguração.
Segundo a prefeitura do Rio, a visita à árvore é o terceiro maior evento da cidade, depois do Réveillon e do carnaval.

Em Palmares, no Tocantins, quatro jovens, - segundo eles -, para comemorarem a conquista do brasileirão pelo Corinthians, roubaram uma estátua de Papai Noel, fugiram numa caminhonete mas, foram detidos por uma viatura da PM.
Na delegacia, os jovens tentaram justificar o furto dizendo que, "tudo não passou de uma brincadeira". Dois dos rapazes são filhos do deputado estadual Amélio Cayres, do Partido Solidariedade.

Não obstante haver sido bancário durante bons anos da minha vida, não consigo entender como é que, num panorama caótico como está a economia do país, a Caixa Econômica Federal anuncia um crescimento na ordem de 23%, o lucro chega a R$ 6,5, e o terceiro trimestre com 60% superior ao do ano ´passado! E ainda reclamam que a inadimplência está alta.
Ainda falando de economia, o governo federal vai usar dinheiro do Tesouro a fim de socorrer a Petrobras dos estragos feitos na empresa pelo esquema corrupto que a operação Lava-Jato está apurando. Assim que o primeiro centavo chegar à estatal, camarada, o contribuinte (eu, você e quem você conhece) é que começamos a pagar a conta.  

Geraldo Alckmin (PSDB), governador de São Paulo da ,maneira mais autoritária do mundo, quis mexer com um milhão de alunos, milhares de professores e familiares de alunos no seu ambicioso plano de "reorganizar o ensino do estado". Então, galera, deu no que está dando; estudantes e movimentos sociais ocuparem escolas de 225 cidades e pretendem ocupar mais.

Vamos deixar de saliência, cara. As meninas das fotos do time de rúgbi da Universidade de Oxford (Inglaterra) tiraram as fotos, nuas, por uma causa nobre: um calendário que será vendido para ajudar pacientes que sofram da doença chamada de "desordem alimentar", pacientes acima do peso e estejam sem condições financeiras de pagar o tratamento.
O maridão, coitado, era duplamente traído pela mulher, Janaína  Nogueira de Barros que tem um amante novinho chamado Felipe dos Santos Alves. Ela esperava o marido sair para trabalhar para "trabalhar" com o amante, saía para assaltar a pedestres nos bairros de Guaratiba e Santa Cruz, Zona Oeste do Rio.
O maridão ficou atônito quando o delegado afirmou que a sua mulher era "extremamente violenta quando em ação". Impressionante.

"Na vida nada se cria, tudo se copia", dizia Abelardo Barbosa,o Chacrinha. Não é que um dos quadros criados por ele para o seu programa "Cassino do Chacrinha", aquele que escolhia o sujeito mais feio do Brasil foi copiado no Zimbábue, na África? Vejam quem ganhou o concurso de lá. Será que mereceu?

A jovem estudante de medicina, Clover Pittilia, que mora em Botirnemouth, Inglaterra, virou notícia ao declarar que, ao virar acompanhante de homens idosos a fim de faturar alguma grana, descobriu que, os jovens, os da sua idade, só querem transar e que os "velhinhos" a enchem de presente e nem sempre terminam em sexo. Ah,bom!

O ex-presidente Lula deu uma de Rui Barbosa, ao fazer a sua versão da famosa "Oração aos Moços", no 3º Congresso da Juventude do PT, em Brasília:
"Então, o nosso companheiro Vaccari, que é um companheiro inteligente, pegava dinheiro de propina e o PSDB ía lá na sacristia e pegava dinheiro limpo ?"
Deixa-me ver se entendi; deve-se ter tolerância com o PT porque TODOS os partidos fazem o mesmo ?

O Supremo determinou que Pedro Corrêa, ex-deputado que cumpria pena do mensalão no semiaberto, agora, apanhado na Lava-Jato, cumpra pena em regime fechado.  

Acusado de ter feito operações fraudulentas, o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do peito de Lula está na tranca. A Polícia Federal es6tá investigando com rigor porque Bumlai tinha acesso liberado ao Planalto.

Bernardo, filho de Cerveró, procurou agentes da Lava-Jato, em Curitiba e entregou uma gravação que estarreceu o país. O Senador Dulcídio Amaral,(foto) líder do governo está preso, seu advogado Edson Ribeiro está em cana, o presidente do Banco Pactual,André Esteves está preso ...A próxima semana promete.
No mais,é como disse a ministra Cármen Lúcia:
"A esperança tinha vencido o medo. Depois, descobrimos que o cinismo venceu a esperança. E agora, parece s constatar que o escarnio venceu o cinismo"
Viva a Polícia Federal !
Viva o Ministério Público !
Viva o Judiciário Brasileiro !
Bom final de semana,galera.  
 


 

 

 
 
 
                                                                                           
  

  
 

                                                          







Nenhum comentário:

Postar um comentário