sexta-feira, 13 de novembro de 2015



Eram duas as festas que o povão, a patuleia da minha terra participava pra valer: Santa Cecília, padroeira dos músicos e que contava com o apoio da filarmônica Lira Ceciliana e a da Ajuda, logicamente apoiada pela Minerva. Vivíamos, então, a fase áurea das fábricas de charutos e cigarrilhas.
No ano de 1987 fiz uma reportagem acerca dos embalos da Ajuda para o jornal cachoeirano  A ORDEM do qual eramos editor e redator-chefe. Naquele ano, a Bahiatursa, órgão oficial do turismo do estado da Bahia não iria financeiramente ajudar mais,mas, mesmo assim, ninguém acreditava que a animação e a participação popular iriam diminuir. 
Fui procurar um dos mais tradicionais "caretas" (mascarados),meu amigo Jorge José de Freitas, o Jorge da Arara. Ele brincava nas duas festas:
"A animação daqueles tempos era bem maior, sem comparação, também corria mais dinheiro. Existiam caretas de luxo, como as de Maroxelo e Eduardo Sangue Azul", disse-me ele.
Jorge falou que além de Dalva do Samba de Roda, , existia o Trança-fitas de Vanda, a Batucada de Sapo Engraxate,  as Salas-da-Roça organizadas por Sisgimundo Bastos e Ternos organizados por Agnaldo da Leste, Poporrô, Deraldo Relojoeiro, e o "bamba" (o melhor de todos), Brasiliano.
Segundo Jorge, Brasiliano organizou o "Terno dos Tamancos", "Terno do Cachimbo" e saía fantasiado com uma máscara criada por ele e conhecida na cidade como "Papai Jaú".
Francisco Gomes dos Santos, o sempre lembrado Poporrô, era amigo pessoal do meu pai, namorou com a minha tia Euzelina e só brincava, segundo ele, nas festas de Santa Cecília. Eu perguntei: Por quê? Ele foi claro: "Sou do tempo em que a Minerva não pisava os pés no adro do Monte".
O leitor que quiser se aprofundar no assunto, eu recomendo a leitura do excelente livro do meu amigo Cacau Nascimento, "A Capela d ´Ajuda já deu sinal" (1995).
Irmão de Julião, Poporrô era bonachão, farrista, comportamento diferente do irmão. Certa manhã eu estava na porta do sobrado onde morávamos, exatamente com a minha madrinha, Laura, o seu namorado, Julião, quando descia da Rua da Feira um bloco. Eram "As melindrosas" e um dos protagonistas era exatamente o nosso Poporrô que ao passar perto, olhando para a minha madrinha, com um sorriso malandro no rosto cantou o samba da moda que a orquestra estava tocando:
"Não brinca nem deixa a gente brincar!"
Poporrô tocando bumbo num Grupo de Forró
 O meu tio, Francisco Beline, foi, também, organizador de ternos. Ele lembrou de "As Melindrosas", "Cozinheiras" e da "Costa Pena" de São Félix de cuja empresa ele era empregado. Em parceria com Cachico, Beline lembrou de alguns sucesso compostos pela dupla:  "Multa", "Edelzuíta",  e a mais famosa de todas, "Alô seu Zé!"
Perdeu-se no tempo quem compôs as músicas e as letras chamadas de Chulas e que eram executadas em todas as cidades vizinhas, pelo óbvio motivo de que os músicos eram os mesmos:
"Quem quiser me ver/ Vá na Piedade, amanhã!"
O sujeito ia se esbaldar até a morte, ou então declarando o seu amor por uma das filarmônicas:
"Vamos ver se vai / Se não for se leva / Meu amor é Lira / E eu sou Minerva!"
E outra mais poética, ainda:
"Ai, ai, ai borboleta / Diga ao meu bem que apareça!"
E a mais tocada e deturpada de todas:
"Ai, cebola, tempero de maniçoba / Fui no mato catar folha/ Encontrei ninho de cobra!" Conforme sabemos nós, o da minha geração, o "tempero" era outro 
Os antigos diziam que, quando assumiu a titularidade da delegacia de polícia um tal de "Pisa Macio", ele proibiu o uso de máscaras depois de escurecer e o povo cantou:
"Capela da Ajuda já deu sinal / Arriba a máscara, careta!"
Lembro-me que, quando assumiu a delegacia o temido Edelsaias, o próprio saiu cobrindo a porrada nas "caretas" ou caras limpas que ele flagrasse cantando as famosas letras obscenas. O meu amigo professor Felisberto, Ganso, regente da filarmônica Minerva e partícipe da Charanga que animava a festa, se deu ao trabalho de colocar músicas inéditas no repertório. Não sei de quem as autorias. Apenas músicas, nada de letras. O que foi que aconteceu, galera? Quando a Charanga atacou de "Oh! seu Nicolau, quer mingau?!" A turba gritava; Poooorrra! 
E uma outra, também sem letra, algum poeta do povo inventou e colou: 
"Comeram a mãe do delegado / O delegado é viado !"
O fato, queridos, é que o povo rebelde vítima de  uma tradição, não há como controlar,sobretudo quando existiu emprego de violência.
Num domingo que longe vai, descemos da Vila Residencial onde morávamos, eu e a minha saudosa esposa, Luiza, a fim de assistirmos os embalos da casa da minha saudosa mãe, Ester, na Rua da Feira, local estratégico e privilegiado para a passagem dos blocos, além do mais, o mais gostoso ainda, "pagar" a inigualável feijoada que a velha fazia.
Como a gente desceu cedo, estávamos tomando café "com tudo o que a gente tinha direito", conforme Lulu gostava de dizer. Não demorou ouvimos os primeiros acordes. Nos apressamos e corremos para a janela> A melodia era nova e a letra de uma agressividade de meter medo:
"Vá tomar no...quem quiser ! / Vá tomar no ...!
Luiza, coitada, ausente da cidade por mais de vinte anos, arregalou os olhos e olhou surpresa pra mim, exclamando:
"Beinho! Que é que é isso?!"
E eu não perdi apiada:
- Quem quiser, querida ! Quem quiser !
No ano em que foi tirada a fotografia acima, 1935, poucas eram as casas cachoeiranas que possuíam água encanada. Máquinas de lavar, sabão em pó, detergentes, amaciantes, ninguém sonhava. Existiam as lavadeiras que usavam sabão massa ou de coco, anil para as roupas brancas que deram uma beleza plástica que o fotografo teve a sensibilidade de capturar.

MEMÓRIA
Bolão, o entalhador esquecido
O dia 28 de setembro de 1978, há 37 anos passados, portanto, perdeu a Cachoeira, na Bahia, um grande artista, um autêntico artesão, o pioneiro na difusão de uma arte calcada nas próprias raízes de sua negritude; Waldemir Cardoso Nascimento, mais conhecido pela alcunha de Bolão. Ele tomou uma decisão extrema, suicidou-se !
Bolão não gozava do prestígio de outros membros da sua própria família, todos envolvidos na arte de entalhador, mas ele era preciso no manejo da goiva, de sorte que, de um tronco agreste qualquer, ele, com sua criatividade, fazia figuras e objetos de riquíssimas formas. 
As peças que Bolão entalhava eram imediatamente adquiridas pelo mercado e, por isso mesmo, os atravessadores que comercializavam o seu trabalho o pressionavam a fim de que ele aumentasse a sua produtividade, e ele respondia que, "as minhas peças não vendo por qualquer trocado" ou então "eu não entro nesse esquema!" Ele queria, e conseguiu, produzir poças de excelente nível (vide foto de Bolão com uma das suas peças).
O inesperado suicídio do jovem artista, na sua própria oficina de trabalho,  de acordo com um bilhete por ele deixado, foi por motivos passionais.
Preservando a sua individualidade, aperfeiçoando  cada dia o seu trabalho, Bolão, hoje praticamente esquecido, seria umartista, um entalhador reconhecido internacionalmente.

OPINIÃO
A novela da Record
Baseada, (e naturalmente romanceado), o Livro de Gênesis, "Os dez Mandamentos", da rede Record, conseguiu a proeza de fazer frente e até ultrapasssr  algumas ocasiões a audiência do Jornal Nacional, da Globo.
Vocês conhecem  a anedota de um político que foi flagrado durante a noite pela mulher com a porta da geladeira aberta fazendo um inflamado discurso. É que os políticos não aguentam ver holofotes, luzes acesas em cima deles.
Os artistas de um modo geral são assim; sentam de modo com que as calcinhas apareçam, são "surpreendidas" com outro, ou outra, casado(a) em noitada ou saindo de motel, separam, casam, casam, separam, rompem, xingam, espalham fofocas...
Com o sucesso de audiência da novela, vocês acham que a Xuxa, contratada da emissora iria perder a chance de aparecer pra mídia? Ela já gravou algumas cenas, uma "participação especial", usando uma peruca ruiva. Vejam na foto. Seus contratados de markting já espalharam a foto na mídia.
Devido ao sucesso de audiência, com certeza a novela vai dar uma esticadinha até o 5º e último livro, o "Deuteronômio", de Moisés. 
Na guerra pela audiência, não se sabe ainda qual será a reação da Rede Globo. A dramaturgia global, no que se refere aos folhetins, parece-me que estão emitindo sinais de exaustão em se considerando a repetição da trama.
Eu não assisto novela. Até me dou ao luxo de assistir algumas minisséries apesar dos horários. Esta semana, vi no  Discovery Channel, "O Rei Tute" sobre o faraó egípcio Tutankamon.
A minha ojeriza às novelas, provavelmente advem de a minha madrinha, Laura, otiulizar-se  de uma forma de castigo, não deixar ir às matinées, por malcriação ou notas vermelhas na escola.
E se a Globo também resolver  investir em temas evangélicos? A resposta está na própria Bíblia e não fugiria nada ao padrão amoral que a emissora adota. Sugiro, por exemplo, no mesmo Livro de Gênesis, no capítulo 19, versículos 30 a 38. Para que o amigo(a) não precise procurar no Livro Sagrado, farei um breve relato:
Um sujeito chamado Ló, partiu de Zoar com suas duas filhas. Passaram a morar nas montanhas, numa caverna, porque ele, o patriarca, tinha medo de permanecer em Zoar, pequena localidade situada na extremidade do Mar Morto.
Certo dia, a filha mais velha chamou a irmã e argumentou:
- Nosso pai já está velho, e não há homens nas redondezad que nos possuam.
Então a filha fogosa esclareceu o seu maquiavélico plano:
- Vamos dar vinho a nosso pai e então nos deitaremos com ele para preservar a sua linhagem.
No dia seguinte, a filha mais velha falou para a mais nova o que ela na certa teria presenciado, quietinha, pois moravam na mesma caverna:
- Ontem à noite deitei-me com meu pai. Vamos dar-lhe vinho também esta noite e você se deitará com ele, para preservarmos a linhagem do nosso pai.
"Pssar a linhagem" foi a desculpa para o encesto. Deram vinho ao velho pingunça e ele transou com as filhas. Ele, segundo o versículo 35 "não percebeu quando ela se deitou nem quando se levantou". Mas, funcionou o plano, o velhinho era bom reprodutou, engravidou a ambas, tornou-se pai dos próprios netos!
O mais velho recebeu o nome de Moabe, pai dos moabitas atuais. A outra irmã também teve um filho homem, Bem-Ami, pai dos amonitas de hoje.
Não é uma trama estilo global de sacanagem, sexo e traição?
Em Segunda Samuel,  capítulo 13, tem também uma história interessante: Absalão, filho do rei Davi, andava doido pra transar com a sua irmã, Tamar. O tema incesto já não foi explorado pela Globo? Eu não sei dizer porque não assisto novelas.
 
A TRAGEDIA DO DESCASO
O rompimento da barragem
A tragédia que chegou quse sem avisar, acabou tomando grande espaço da imprensa mundial: o rompimento da barragem da pequana Mariana, Minas Gerais. Até o momento não se sabe, ainda, o número de vitimas fatais em face dos muitos "desaparecimentos". Mais de 500 pessoas foram resgatadas.
Não tive até o momento qualquer notícia sobre o impacto de tal notícia para as populações da Cachoeira e São Félix.sempre apreensiva com a segurança da barragem de Pedra do Cavalo. Será que a empresa encarregada de levar água para Salvador (Embasa) e a de geração de energia (Voitorantim)  emitiram algum comunicado tranquilizador?
Eu fui funcionário da extinta Desenvale, trabalhei na obra de Pedra do Cavalo desde o início da obra, primeiro na administração, depois na secvretaria geral,e, por fim, no setor de comunicação onde recebia visitantes e implantei o mensário "Desenvale Notícias".
Da esquerda para a direita:o rio em seu leito normal e aspecto do aterramento.
Acompanhei, fotografando, os engenheiros Sérgio Guedes, Washington Campos, Gustavo Rocha e outros, tive o privilégio de andar no leito do rio Paraguaçu quando foi desviado para a construção da barragem. Se você deram uma olhadinha na última foto, vai ter uma idéia da extensão do aterramento.
O projeto de Pedra do Cavalo foi executado pelo Consórcio Nacional de Engenheiros Construtores - CNEC -, sendo executado pelo Consórcio formado pelas construtoras Odebrecht, Concic e Cepel.
O acompanhamento técnico foi feito pela Geotécnica , e o controle tecnológico pelo Centro de Pesquisas e Desenvolvimento, _CEPED-,  Mecânica Pesada s/a _MEP -, e Sermer Indústria Mecânica.
A barragem tem as principais características:
Altura máxima sobre as fundações                             135 metros
Volume de enroscamento da barragem                       6.000.000 m3
Volume total  do reservatório                                        5,3 bilhões de m3
Volume útil para geração                                               1,5 bilhões de m3
Volume útil para contenção de cheias                          700 milhões de m3
Para que aconteça qualquer espécie de preocupação quanto a segurança da barragem, seria um abalo sísmico de grandes proporções, o que seria uma tragédia para várias cidades e não apenas São Félix e Cachoeira.
Não sei dizer é se o sistema de emergência, no caso de volume inesperado das água do rio Paraguaçu quando ultrapassarem os 700 milhões de m3 para contenção de cheias está funcionando. Alguém poderia acionar a direção?
                                            
                                    ACONTECEU
A inflação chegou aos dois dígitos, e, em cinco capitais deverá atingir 11% este ano, (a maior alta dese 2002), causando uma pressão enorme no orçamento do trabalhador e do aposentado. A inflação castiga exatamente a parela da população que ganha pouco.  Não demora, galera,e aquela abominável maquininha de remarcar preços vai voltar, podem apostar.
A inflação é um inimigo  tenaz, o país levou meio século para vencê-la. O pessoal da minha geração sabe bem o que é. O governo vacilou e foi irresponsável.

Mudou o discurso na maior cara de pau. Cunha, admite agora que, não declarou a grana (dólar) no exterio porque não era ele o titular, ele era o "beneficiário" das contas.
Eu assisti a entrevista que le deu ao Jornal Nacional. Não é que sua excelência ao tirar o dele da reta ao dizer que os valores existentes  na conta da sua esposa, a jornalista Cláudia Cruz deveriam ter sido declaradas ? Rapaz! Entregou a própria esposa!

Aconteceu na BR-060, em Rio Verde, sudoeste de Goiás, mas poderia ter acontecido na Cachoeira, ou melhor em Maragojipe onde eu presenciei algo semelhante. A Polícia Rodoviária Federal autuou o motorista do fusquinha que transportava em cima uma geladeira.

Impressionante! Um tubarão branco devorando um elefante-marinho foi flagrado na costa da Ilha de Guadalupe, no Caribe, pelo mergulhador e pesquisador, Joel Ibarra. A imagem está bombando na rede.

Você viram? O bicho pegou na manhã da terça-feira desta semana na Linha Vermelha, uma via expressa entre as cidades do Rio e Caxias, na Baixada Fluminense. O tiro comeu solto por mais de 25 minutos. deixando todo o mundo em pânico, conforme vídeo apresentado. Felizmente, apesar do intenso tiroteio e de grandes emoções, não houve registro de feridos. 

Também na terça-feira, faleceu aos 61 anos de idade, a consagrada jornalista Sandra Moreyra, que se destacou em coberturas importantes como dea morte de Tancredo Neves, o Plano Cruzado, o acidente radioativo de Césio 137, a tragédia do Bateau Mouche,e a que ela própria dizia ser a mais marcante; a chacina de Vigário Geral.
Sandra era tabagista, foi vencida por um câncer.

E a "preferência nacional" realizou o seu concurso  do ano, o Miss Bumbum 2015, que escolheu Suzy Cortez, representante do Distrito Federal como vencedora.
A moça ( a terceira da esquerda para a direita) não é parecida com a atriz Daniela Cicarelli ? Ei, cara, você estava prestando a atenção a outra coisa?

Que diabo de gree foi essa a dos caminhoneiros? O objetivo era pedir o afastamento da presidente Dilma?  Ora, cara, se acoisa fosse séria, os caminhoneiros fariam uma greve legal simplesmente deixando os veículos na garagem, sem bloqueio de estradas e sem correr do pau,com medo das pesadas multas.
Greve mesmo pra valer e pouco explorada pela mídia é a dos petroleiros que já duram 10 dias. Cinquenta unidades na Bacia de Campos, noRio dejaneiro estão paralisadas. É a maior greve geral da história da Petrobras.  

jornaldeontemhojeesempre.blogspot.com está antenado com o que de mais interessante circul na Inrternet. O grande sucesso atual é a moça que está descendo a escada rolante de um Shopping, e, depois, nas ruas de Hong Kong, apenas de blusa !Dê outra olhadinha na foto. Dá pra acreditar? 
semelhantemente ao que já acontece no nosso carnaval, a moça está usando um tapa-sexo. A artista plástica Sandra Bakker fez a pintura corporal da "calça".
Bom final de semana, galera.













 


Nenhum comentário:

Postar um comentário