sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

MÚSICA

O aniversário da Minerva                 

No dia 10 do corrente, a filarmônica Minerva completou 138 anos de ininterruptas atividades, não apenas musical mas,em todos os momentos sociais, não apenas nos momentos de alegria mas, sobretudo nos momentos de pezar. É assim que funciona e se credencia uma sociedade de respeito.
O idealizador, fundador e regente durante bom tempo foi o maestro Eduardo Mendes Franco, cachoeirano nascido em 28 de dezembro de 1852. Tinha, portanto, 26 anos de idade quando fundou a Minerva, inicialmente com o nome de Comércio.
Professor de música, Eduardinho, - como era carinhosamente chamado -, foi, também, um dos fundadores de outras filarmônicas, inclusive a Orfesina Cachoeirana hoje extinta, e era, também, regente da Orquestra da Ajuda.

Eduardo Mendes Franco compôs várias músicas para Grupos Corais e filarmônicas. Infelizmente morreu cede, aos 54 anos de idade, na madrugada do dia 26 de maio de 1906,há 110 anos passados, portanto.
Na galeria dos presidentes da Minerva destacamos, por ordem alfabética, alguns cidadãos: Américo Palma de Santana,.Aurelino Serafim,.Artur Marques, Bráulio Marques, Cândido Vacarezza, Carlos Vieira, Padre Fernando Carneiro, Graciliano Lima, Juvenal Paim, Ricardo Pereira e Virgílio Reis, com destaque para duas famílias das mais tradicionais da Cachoeira: Major Ursecino e Manoel Martins Gomes (Manoelzinho). que, ao falecer tão prematuramente,  foi substituído pela sua esposa a professora Yolanda, a primeira mulher a assumir a presidência da Sociedade, vindo, em seguida, o primogênito da família, doutor Evandro. Tenho notícias que o atual presidente é o professor Rogério Almeida.
A banda teve vários regentes de renome: Esmeraldo São Bernardo, Francisco Cardoso Fróes e Pedro Bezerra. Do meu tempo, lembro-me, no momento, de Manoel Cristiano Silva (Engenheiro), Clarício Marques e Felisberto Silva (Ganso).
Dois tios meus por parte da minha mãe foram músicos da Minerva: Edgar (que faleceu vitimado por um acidente automobilístico) e Deocleciano (Dió), por isso é que a Minerva esteve presente na solenidade do casamento dos meus pais e chorou conosco nos momentos de pezar.
Tive o prazer de conviver e ser amigo de diversos músicos da filarmônica: Bernardino, Luiz, João Balaio,Cessemiro, Chico Trompa, Mundinho,Chendengo, Índio e o bombista Munda, recentemente falecido, segundo soube.
Daqui a 12 anos, em 2.028, mercê de Deus a   Minerva Cechoeirana  estará completando o seu sesquicentenário, feito que poucas sociedades no Brasil conseguiram alcançar. Não é prematuro fazer-se de já um bom planejamento.
---------------------------------------------------------------------------------------------
NA FOTO MAIOR:
1 - Munda 2- Índio 3 - Manoel Martins Gomes (Manoelzinho) e 4 - Professora Yolanda Pereira Gomes;
______________________________________________________







Nenhum comentário:

Postar um comentário