sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016


Guerra  ao  mosquito


Não tenho lembrança de outro assunto que tenha ocupado tanto espaço na mídia do que o Zika, Aedes Aepypti e Chikungunya. 
Blá-blá-blá, discursos feitos por marqueteiro para a televisão, as Forças Armadas ajudando no combate etc e tal.Todo mundo dando pitaco, cientistas do mundo inteiro empenhados numa vacina, a Organização Mundial de Saúde recomendando "sexo seguro" em áreas com o Zika e até o papa, devido as circunstâncias, declarou que a saliência pode ser feita com camisinha!
Eu achei muito engraçado quando eu li que o mosquito adora suor e chulé! Se o camarada tomar banho, estiver perfumado ele cai fora.

Vamos voltar ao passado. Para combater o mosquito antigo, que a gente chamava de muriçoca, o presidente Rodrigues Alves (foto) convocou o jovem sanitarista Osvaldo Cruz. O pobre do Osvaldo sofreu o diabo, inclusive da imprensa, por causa da sua campanha de vacinação. A capital da República era o Rio de Janeiro, a revolta nas ruas teve quebra-quebra e muito tumulto.
Quando eu era menino existiam os Mata-mosquitos. Era meu vizinho um deles chamado seu Alfredo, pai dos meus amigos de infância Anildo, Arivaldo e do colega bancário Rubens Queiroz. 
Com o nome pomposo de Agente das Endemias Rurais, aqueles servidores colocavam uma bandeira amarela na porta de entrada, iam logo nos quintais, com um martelinho furavam as latas que encontrasse. Dentro da casa, verificavam com uma lanterna a água dos porrões. Naqueles tempos poucas pessoas possuíam geladeiras, a água ficava geladinha no porrão e nas moringas compradas em João Caboclo. Quando o Agente saía, anotava a visita num formulário que ficava colado no fundo da porta da rua.
A velha muriçoca fazia parte da cadeia alimentar de rãs, sapos e pássaros. O tal do Aedes foi beneficiado não apenas com a falta de saneamento básico. O desmatamento, as queimadas fizeram desequilibrar o que a Natureza criou, salvo melhor juízo.
As muriçocas atacavam durante a noite. Quando trabalhei em Candeias, valia-me de um mosqueteiro. A muriçoca faz um barulhinho danado em nosso ouvido, a sua picada doi pra caramba, o tal do Aedes tem hábitos matutinos, a sua picada é indolor porque a saliva dele produz um anestésico.
Diante do assustador número de casos de microcefalia, o presidente Obama prometeu arrumar US$ 1,8 bilhão para pesquisas enquanto a ONU decretou emergência internacional.
Diante de tal conjunbtura, lembrei-me de um colega da faculdade, um adepto da "teeoria da conspiração". A morte Juscelino, Jango, Lacerda, tudo fazia parte da tal "teoria" tendo por trás a CIA. E ele olhava para um lado e para o outro como se estivesse procurando alguem escondido:
- Seu Brito - dizia ele quase cochichando -, eles estão por todas as partes !
Com certeza, amigos, ele iria dizer que o Aedes foi criado em algum laboratório da CIA.
 



 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário