sexta-feira, 6 de maio de 2016



Nenhum amor supera o amor de mãe. Li, recentemente,sobre um estudo realizado pela Universidade de Washington, nos Estados Unidos, de que o amor de uma mãe ajuda o cérebro de uma criança a se desenvolver mais.
Joan Luby, uma pesquisadora que foi autora e liderou os estudos, descobriu que uma importante área do cérebro cresce duas vezes mais rápido em crianças cujas mães demonstravam afeto e apoio emocional em comparação com aquelas outras que eram filhas de mulheres mais frias e distantes, e que, não é possível compensar os anos em que esse amor foi negligenciado. E a psiquiatra concluiu:
"A relação entre uma criança e a mãe no período pré-escolar é vital, e ainda mais importante do que quando a criança é maior".
Considero-me um privilegiado por ter tido seis mães na minha vida. A minha mãe biológica, Ester, casou-se muito cedo, os meios anticonceptivos eram rudimentares, veio um filho atrás do outro,e,naturalmente,as dificuldades naturais de criar uma prole de 16 filhos. Eu fui o primogênito. Como não havia creches àquela época, necessitando trabalhar para ajudar o meu pai nas finanças, eu fui ficando, ficando, e acabei sendo criado no seio da família Soares. Isso jamais impediu-me de reconhecer na minha mãe uma mulher guerreira que embora ficando viúva cedo, deu conta do recado e foi abençoada em conviver com netos, bisnetos e tetranetos.
Três foram as minhas mães de criação: Guiomar (Guigui), Cândida (Iaiá) e Laura, minha madrinha e depois cunhada.
Eu dei muito trabalho, era um menino doentinho, sofria de bronquite tive caxumba (papeira), varíola, bexiga, "carregação" (inflamação das pálpebras).
Fui alfabetizado em casa onde aprendi também valores morais e a amar o passado glorioso da minha terra.
Com Lêda fui casado e tivemos seis filhos. Na qualidade de provedor da família, ela cuidava dos meninos, poupando-me do problemas inerentes ao dia a dia dos filhos, como o faz até hoje. É, sem dúvida, uma mulher de grande valor e que será homenageada no domingo, através das redes e no almoço do Dia das Mães.
Quando reencontrei Luiza, volvidos 27 anos de total e absoluta separação por fatos que independeram da nossa vontade, tomamos a decisão corajosa de  tentar reconstruir a nossa vida. Foi uma decisão traumática com muita gente dando opinião sem qualquer conhecimento de causa.
Luiza deu-me dois presentes valiosos: Wladymir, meu filho adotivo e o meu caçula, Tinho Brito. Para ela, no entanto, TODOS os meus meninos com Lêda eram dela também. 
Salomão, no Livro de Provérbios (está na Bíblia, capítulo 31 versículo 28) escreveu acerca da mulher virtuosa; todas mães do mundo !
"Levantam-se seus filhos e lhe chamam ditosa, seu marido a louva dizendo: muitas mulheres procedem virtuosamente, mas tu a todas sobrepuja".
 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário